Dicas gramaticais… PREÇO ALTO ou BAIXO

Leia a frase:
Os preços dos novos carros estão 39% mais baratos que (...)”.

Nem CARO nem BARATO. Preço só pode ser ALTO ou BAIXO. Consideramos “caro” aquilo que tem preço alto e “barato” aquilo que tem preço baixo.

Por esse motivo, são inadequadas, embora relativamente comuns, construções como “preço caro” ou “preço barato”.

O PREÇO de uma mercadoria pode, portanto, ser ALTO ou BAIXO. A mercadoria em si é que pode ser CARA ou BARATA.

Assim: “Usava roupas caras, mas seus sapatos eram baratos”.

O mesmo vale para a palavra CUSTO quando sinônimo de PREÇO.

Assim: “Suas atitudes impensadas tiveram um custo alto”.

Com os verbos, entretanto, empregam-se os advérbios “caro” e “barato”.

Assim: “Custaram-lhe caro suas atitudes impensadas”, “Cobraram caro pelo serviço”.

Observe que os advérbios (“caro” e “barato”) são invariáveis.

Eis a frase corrigida:
Os preços dos novos carros estão 39% mais baixos que (...).

Reforçando...
Português Fácil - Michaelis
Caro, Barato
Acompanhando um verbo, essas palavras são invariáveis: Os brinquedos custam caro (e não “caros”) / Esses livros estão custando barato (e não “baratos”) / Essas camisas custam 20% mais barato do que aquelas (e não “20% mais baratas”) / Ele vendeu caro a derrota (e não “cara”). Quando acompanham um substantivo, concordam normalmente com ele: Encontrei uma calça barata / Ele me mostrou alguns paletós caros / Havia frutas caras na feira. ■ O que é caro ou barato é o produto, não o preço, que pode ser alto ou baixo. Por isso, diga: preços altos (e não “preços caros”), preços baixos (e não “preços baratos”).

Dicionário de dificuldades da língua portuguesa – Domingos Paschoal Cegalla
Barato, Caro
É impropriedade de linguagem dizer preço barato, preço caro. Os produtos, as mercadorias, os serviços é que são baratos ou caros: artigos baratos, roupas caras, consulta cara, livro barato. / As tarifas de luz estão mais caras. Quanto aos preços, diremos que são baixos ou módicos, altos ou exorbitantes, extorsivos ou abusivos.

Barato e caro, quando empregados como advérbios, permanecem invariáveis: Vende-se barato esta fazenda. / Comprou caro os seus móveis. / A partir de amanhã, a gasolina custará mais caro. / No atacado, estes produtos custam 30% mais barato. / Ele pagou caro pelos seus erros. / “Caro pagareis a audácia”. (Mário Barreto, Novos Estudos, p. 264).

Manual de Redação e Estilo – “O Estado de S.Paulo”
Caro
1 – Caro já significa de preço elevado. Dessa forma, “preço caro” constitui redundância. Escreva: O pão está caro. / Artigos caros. O preço pode ser alto, elevado, exagerado, excessivo etc. 2 – Quando adjetivo, varia: Comprou roupas caras. / Só frequenta lugares caros. / Estas frutas são caras. 3 – Como advérbio (equivale a de modo caro), permanece invariável: Comprei caro estas frutas. / Vendeu caro as duas casas. / Pagou caro aqueles desaforos. / As bebidas custam 25% mais caro  partir de amanhã.

Barato
1 – Barato já encerra ideia de preço. Dessa forma, preço barato é redundância. Escreva livro barato, produtos baratos. Para preço, use baixo, mínimo, reduzido, insignificante etc. 2 – Como adjetivo, a palavra varia: Comprou roupas baratas. / Pôs anúncio procurando uma casa barata / Só frequenta lugares baratos. 3 – Como advérbio, permanece invariável: Comprei barato estas frutas. / Até que saíram barato tamanhos desaforos. / As frutas custam 10% mais barato (e não mais baratas) a partir de amanhã.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *