Saltar para o conteúdo

O Campeonato Maranhense de Futsal 2019, competição promovida pela Federação de Futsal do Maranhão (Fefusma), começa a entrar em suas fases decisivas. Neste fim de semana, terão início as disputas dos mata-matas de cinco categorias: Sub-6, Sub-8, Sub-10, Sub-12 e Sub-14. As partidas ocorrerão neste sábado e domingo (7 e 8), nos Ginásios da Apae (Outeiro da Cruz) e do Guioberto Alves (Bairro de Fátima).

A rodada de sábado começará às 8h. No Ginásio da Apae, a programação de jogos será aberta com duas partidas válidas pelas quartas de final do Sub-6: Aurora Futsal x Instituto Juventude e Afasca x Estrelinha Bom de Bola. Na sequência, ocorrerão quatro partidas da segunda fase do torneio Sub-8: Ippon/Cruzeiro x Ponte Preta Ludovicense, Aurora Futsal A x Túnel Futsal, Instituto Juventude x RAF 07 e CT Sports x Oficina Rosariense.

A continuação da rodada terá jogos da segunda fase do torneio Sub-10: Meninos de Ouro/AABB x Oficina Rosariense, Titans A x CT Sports, CTFC x RAF 07 e Ippon/Cruzeiro x Seve. Haverá, ainda, uma partida entre Elmo/Lítero e Associação Palmeirinha pelo mata-mata do Sub-14. No Guioberto Alves, às 9h45, a bola rola para Titans A x Magnólia/R13 pelas oitavas de final do Sub-12.

No domingo, haverá mais cinco jogos eliminatórios, todos sendo realizados no Ginásio da Apae: Instituto Juventude x Afasca (Sub-10), Aurora A x Associação Palmeirinha (Sub-12), CAD/CBP x Jeito Moleque (Sub-12), Afasca x Ippon/Cruzeiro (Sub-12) e Associação Magnólia x Aurora Futsal (Sub-14).

Outros jogos

Neste fim de semana, a Fefusma também dará prosseguimento às disputas dos torneios Sub-16, Sub-19 e Adulto Feminino do Campeonato Maranhense de Futsal. Ao todo, serão sete jogos dessas categorias: Titans x Meninos de Ouro/Santa Rita (Sub-16), CAD/Atalanta x Ippon/Cruzeiro (Sub-19), Moto Club x Palermo/Santa Inês (Adulto Feminino), Ippon/Cruzeiro x Meninas Esporte Clube (Adulto Feminino), CAD/Athenas x Palermo/Santa Inês (Adulto Feminino), Associação Magnólia x Aurora Futsal (Sub-14), CAD/Atalanta x Cruzeiro/APCEF (Sub-19) e Afasca x Palermo/Santa Inês (Adulto Feminino).

Nas redes sociais oficiais da Fefusma (@fefusma) estão disponíveis todas as informações do Campeonato Maranhense de Futsal 2019. Esta edição do Estadual de Futsal tem o apoio da Secretaria de Estado do Esporte e Lazer (Sedel), Murano, AP Assessoria de Imprensa, Crossnutri, Autoescola Santana, UP Nutrition/Suplementos, Arauto Solar, Poderosos Cosméticos e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de São Luís (Apae-MA).

Sábado (7/12) // Ginásio da Apae
8h – Aurora Futsal x Instituto Juventude (Sub-6)
8h40 – Afasca x Estrelinha Bom de Bola (Sub-6)
9h20 – Ippon/Cruzeiro x Ponte Preta Ludovicense (Sub-8)
10h – Aurora Futsal A x Túnel Futsal (Sub-8)
10h40 – Instituto Juventude x RAF 07 (Sub-8)
11h20 – CT Sports x Oficina Rosariense (Sub-8)
12h – Meninos de Ouro/AABB x Oficina Rosariense (Sub-10)
12h40 – Titans A x CT Sports (Sub-10)
13h20 – CTFC x RAF 07 (Sub-10)
14h – Elmo/Lítero x Associação Palmeirinha (Sub-14)
14h50 – Ippon/Cruzeiro x Seve (Sub-10)
15h30 – Ippon/Cruzeiro x Meninas Esporte Clube (Adulto Feminino)

Sábado (7/12) // Ginásio Guioberto Alves
9h45 – Titans A x Magnólia/R13 (Sub-12)
10h30 – Titans/Itapecuru x Meninos de Ouro/Santa Rita (Sub-16)
11h20 – CAD/Atalanta x Ippon/Cruzeiro (Sub-19)
12h20 – Moto Club x Palermo/Santa Inês (Adulto Feminino)

Domingo (8/12) // Ginásio da Apae
8h – CAD/Athenas x Palermo/Santa Inês (Adulto Feminino)
9h – Instituto Juventude x Afasca (Sub-10)
9h50 – Aurora A x Associação Palmeirinha (Sub-12)
10h40 – CAD/CBP x Jeito Moleque (Sub-12)
11h30 – Afasca x Ippon/Cruzeiro (Sub-12)
12h20 – Associação Magnólia x Aurora Futsal (Sub-14)
13h10 – CAD/Atalanta x Cruzeiro/APCEF (Sub-10)
14h10 – Afasca x Palermo/Santa Inês (Adulto Feminino)

(Fonte: Assessoria de comunicação)

As disputas do Campeonato Maranhense de Futebol 7 Sub-15, competição promovida pela Federação Maranhense de Futebol 7 (FMF7), chegam à fase de quartas de final. Neste domingo (8), serão realizados dois dos quatro confrontos desta fase do torneio. As partidas ocorrerão no Clube da Bola, no Turu, a partir das 9h.

No primeiro jogo do domingo, o Maranhão Atlético enfrentará o Santos SLZ por uma vaga nas semifinais do torneio. O MAC chega a essa fase com a melhor campanha geral e ainda não perdeu nenhuma partida nesta edição do Sub-15.

Na sequência, às 10h, a bola rola para Grupama B e Flamengo, duas equipes que tiveram boas campanhas na fase de grupos. Na classificação geral, o Grupama B foi o quarto colocado com 9 pontos somados, enquanto que o Flamengo terminou a fase classificatória com 8 pontos, na quinta posição no geral.

A FMF7 ainda definirá as datas dos outros dois jogos das quartas de final do Campeonato Maranhense de Futebol 7 Sub-15. As partidas são as seguintes: Grupama x Grêmio Maranhense e Craque na Escola x Cruzeiro/São Luís.

 

Taça Maranhão

O fim de semana também reserva disputas pela Taça Maranhão de Base de Futebol 7 nas categorias Sub-10 e Sub-12. As partidas serão realizadas neste sábado e domingo (7 e 8), no Clube da Bola e no Sesi Araçagi.

No sábado, a rodada ocorrerá no Clube da Bola a, partir das 7h45: Escola Cruzeiro x Meninos de Ouro/SRT (Sub-12), Palmeirinha/Uniceuma x Meninos de Ouro/SRT (Sub-10), Clube Atlético Juventude x Grupama (Sub-12) e Meninos de Ouro/SRT x Juventude/Rosa de Saron (Sub-12).

No domingo pela manhã, a partir das 8h, a bola rola no Sesi Araçagi para quatro partidas: Craques do Futuro x Grêmio Vinhais (Sub-10), Vasco x Juventude/Rosa de Saron (Sub-12), Grêmio Vinhais x Escola Cruzeiro (Sub-12) e Titans x Meninos de Ouro/AABB. À tarde, a rodada ocorrerá no Clube da Bola a partir das 14h45: Olímpica x Afasca (Sub-12), Santos/Meninos da Vila x Flamengo (Sub-12), Afasca x Santos/Meninos da Vila (Sub-10) e Flamengo x Olímpica (Sub-10).

No “site” (www.fut7ma.com.br) e nas redes sociais oficiais da federação (@fmf7ma) estão disponíveis todas as informações da Taça Maranhão de Base e do Campeonato Maranhense de Futebol 7 Sub-15, torneios realizados pela Federação Maranhense de Futebol 7 (FMF7) com os apoios da A&D Eventos e AP Assessoria de Imprensa.

TABELA DE JOGOS
Sábado (7/12) // Clube da Bola
7h45 – Escola Cruzeiro x Meninos de Ouro/SRT (Sub-12)
8h30 – Palmeirinha/Uniceuma x Meninos de Ouro/SRT (Sub-10)
9h30 – Clube Atlético Juventude x Grupama (Sub-12)
10h – Meninos de Ouro/SRT x Juventude/Rosa de Saron (Sub-12)

Domingo (8/12) // Clube da Bola
9h – Maranhão Atlético x Santos (Estadual Sub-15 / quartas de final)
10h – Grupama B x Flamengo (Estadual Sub-15 / quartas de final)
14h45 – Olímpica x Afasca (Sub-12)
15h30 Santos/Meninos da Vila x Flamengo (Sub-12)
16h20 – Afasca x Santos/Meninos da Vila (Sub-10)
17h – Flamengo x Olímpica (Sub-10)

Domingo (8/12) // Sesi Araçagi
8h – Craques do Futuro x Grêmio Vinhais (Sub-10)
8h40 – Vasco x Juventude/Rosa de Saron (Sub-12)
9h20 – Grêmio Vinhais x Escola Cruzeiro (Sub-12)
9h40 – Titans x Meninos de Ouro/AABB (Sub-12)

(Fonte: Assessoria de comunicação)

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) já disponibilizou em seu “site” os resultados do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) de 2019. Para acessar as notas, é exigido CPF e a senha.

Terá direito ao certificado de ensino fundamental ou médio o candidato que obtiver a nota mínima exigida em todas as quatro áreas de conhecimento e na redação, sendo 100 pontos nas provas objetivas e 5 na de texto.

O certificado será emitido pelas secretarias de Estado de Educação. Segundo o MEC, os institutos federais de Educação, Ciência e Tecnologia que firmaram adesão ao Encceja também são certificadores do exame, porém somente do ensino médio.

O Encceja é um exame que tem por objetivo aferir competências, habilidades e saberes de jovens e adultos que não concluíram o ensino fundamental ou o ensino médio na idade adequada. Nessa edição, teve recorde de 1.185.945 participantes, número que representa um aumento de 45% em relação à edição do ano passado.

(Fonte: Agência Brasil)

O Instituto Ayrton Senna promoveu, nessa quinta-feira (5), o evento Enfrentando os Desafios Educacionais, em que apresentou um diagnóstico com dados inéditos e projeções para a Educação até 2050 dos 26 Estados brasileiros, mais o Distrito Federal, a secretários estaduais de Educação. O evento teve a parceria de Conselho Nacional de Educação, Conselho Nacional de Secretários de Educação, Unesco no Brasil e Insper.

O diagnóstico traz dados sobre recursos humanos e infraestrutura das escolas brasileiras, consideradas pela entidade questões de extrema importância para promover o aprendizado e o desenvolvimento dos estudantes.

A análise a partir dos dados do diagnóstico, elaborada por Ricardo Paes de Barros, economista-chefe do Instituto Ayrton Senna e professor do Insper, foi dividida em sete categorias para a tomada das decisões: turmas, escolas, qualidade, infraestrutura, atratividade e motivação, condições de trabalho e formação.

“Nós organizamos isso em sete grandes decisões e finalizamos cerca de pouco mais de cem gráficos para cada unidade da Federação. Tem 27 diagnósticos, cada Estado vai decidir de maneira diferenciada, e o que nós fizemos com eles durante o dia de hoje é caminhar com eles através desses dados todos, tentando apoiá-los para eles tomarem essas sete decisões”, disse Ricardo Paes de Barros. Mais de 20 representantes dos Estados participaram do encontro.

“O que a gente organizou com eles [secretários] foi sete grandes decisões que qualquer sistema educacional vai ter que tomar, desde reduzir o número da turma, você pode investir em melhorar a infraestrutura, pode investir em atrair ou motivar mais os professores, melhorar as condições de trabalho do professor”, elencou Paes de Barros.

Uma das decisões trata da qualidade das escolas “versus” qualidade dos professores. “Embora todos os estudos apontem a qualidade do professor como o principal determinante do desenvolvimento e aprendizado dos alunos, a disponibilidade de uma infraestrutura mínima é essencial. Caso contrário, inclusive, contar com melhores professores poderá não se traduzir em aprendizado e desenvolvimento dos alunos”, diz resolução do instituto.

De acordo com o levantamento da entidade, estudos revelam que alunos de instituições com infraestrutura adequada aprendem mais do que aqueles que estudam em escolas sem essas condições. Por infraestrutura adequada da escola, o instituto entende a disponibilidade de salas de aula com espaço e luminosidade suficientes, devidamente arejadas, isoladas de barulho, com mobiliário apropriado e com acesso a serviços básicos de água, esgoto e eletricidade.

Sobre as relações de trabalho, a entidade destaca que é importante para o professor estabelecer relações mais duradouras, traçar planos de carreira e de aposentadoria, além da possibilidade de ter um contrato em tempo integral em uma única escola.

“Vale ressaltar também que um clima escolar inadequado é um dos fatores predominantes para explicar por que muitos professores talentosos abandonam a profissão. Em suma, o gestor público conta com diversos canais para atrair e manter os professores, resta definir que ações e que parcela dos recursos serão alocadas a cada uma dessas vertentes”, concluiu o Instituto Ayrton Senna sobre outra das sete decisões, que trata de atratividade e motivação.

Todos os diagnósticos estão no “site” do Instituto Ayrton Senna.

(Fonte: Agência Brasil)

O deputado federal Juscelino Filho (DEM-MA) se reuniu nessa quarta-feira (4), em Brasília (DF), com representantes do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). Na pauta do encontro, o Projeto de Lei Complementar (PLP) 232/2019, que será relatado pelo parlamentar na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados.

A proposta autoriza que Estados, municípios e o Distrito Federal utilizem recursos de saldos financeiros antigos, oriundos dos repasses federais, parados em contas específicas, em outras ações e serviços de Saúde. “Essa medida respeita as diversidades locais e ‘desengessa’ a gestão, beneficiando a população. Ela se torna ainda mais importante em razão das dificuldades financeiras enfrentadas pelas secretarias de Saúde”, afirmou Juscelino Filho.

O deputado maranhense ainda prometeu atuar para que o PLP 232/2019 seja apreciado o mais rápido possível. “Em razão da importância do tema, devo apresentar requerimento para que a proposição seja votada em regime de urgência no plenário. Também vou conversar com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e com o ministro da Saúde, Henrique Mandetta. Vamos unir esforços em prol desse necessário avanço”, disse.

O presidente do Conasems, Wialames Freire, celebrou o resultado da reunião com Juscelino Filho e defendeu o PLP 232/2019. “Queremos otimizar todos os valores disponíveis para financiamento das ações e serviços públicos em Saúde”, frisou. Mauro Junqueira, secretário-executivo da entidade, acrescentou: “um dos pontos críticos da execução dos recursos federais é o engessamento causado pelas transferências em componentes e blocos de financiamento, uma vez que não propiciam a utilização de forma plena das verbas”.

(Fonte: Assessoria de comunicação)

Quem teve a solicitação de reaplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 aprovada já pode conferir os locais de prova. A informação está disponível na Página do Participante, dentro do “site” do Enem. O segundo exame será feito por 2 mil candidatos.

A reaplicação das provas será nos dias 10 e 11 de dezembro. Para acessar a Página do Participante, é necessário inserir CPF e senha já cadastrados. Quem esqueceu a senha pode recuperá-la no próprio “site”.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC) e responsável pela aplicação do exame, tem um vídeo com o passo a passo de como entrar na página.

Os participantes tiveram de 11 a 18 de novembro para solicitar a reaplicação do exame. São três os casos que o Inep classifica como problemas logísticos: desastres naturais que tenham prejudicado a aplicação do exame por causa do comprometimento da infraestrutura do local; falta de energia elétrica que tenha comprometido a visibilidade da prova; e falha de procedimento de aplicação que tenha causado prejuízo comprovado ao participante.

(Fonte: Agência Brasil)

Nesta quinta-feira (5/12), das 9h às 14h30, será realizada a 1ª edição da Feira da Resex de Tauá-Mirim, na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), “campus” do Bacanga. O local da Feira é de fácil acesso a toda a comunidade universitária e moradores(as) de bairros vizinhos: ao lado do prédio de Políticas Públicas (próximo ao CEB Velho).

Agricultores(as), pescadores(as) artesanais e marisqueiros(as) das comunidades rurais da Reserva Extrativista apresentarão grande variedade de alimentos saudáveis produzidos em seus roçados, quintais, rios, igarapés, mangues e praias da Zona Rural da Ilha de São Luís, além de artesanatos de qualidade e outros produtos.

Estarão presentes comunidades da Resex (Taim, Jacamim, Rio dos Cachorros, Cajueiro, Tauá-Mirim), além de produtores(as) de Inhaúma, Igaraú, Vila Nova República, Matinha, Pedrinhas e Vila Embratel. Essas comunidades garantem parte importante da produção de alimentos saudáveis e de base agroecológica consumidos na Ilha de São Luís tendo papel relevante na promoção da segurança alimentar e nutricional – da população em geral – e trabalho, renda na Zona Rural da capital maranhense. A Feira contará, ainda, com a participação de produtores(as) da Reserva Extrativista Marinha de Cururupu (MA).

É importante dizer que os produtores(as) que estarão presentes na Feira representam populações tradicionais que são as maiores guardiães e mantenedoras da rica biodiversidade da Ilha de São Luís e que resistem e lutam pela existência de suas comunidades, cultura e modos de vida hoje seriamente ameaçados por grandes empreendimentos (industriais e portuários, em especial) que avançam, cada vez mais, sobre esses territórios, com explicito apoio dos governos locais. A proposta “oficial” de Revisão do Plano Diretor, ora em curso demonstra isso de forma clara, quando propõe a redução de mais de 8 mil hectares (algo em torno de 40%) da Zona Rural de São Luís.

A Feira é uma promoção do Conselho da Resex de Tauá-Mirim com apoio da Associação de Professores da UFMA (Apruma), Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Grupo de Estudos: Desenvolvimento, Modernidade e Meio Ambiente (Gedmma), Associação Agroecológica Tijupá (Tijupa) e Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores Sem Terra (MST).

A partir do meio-dia, a Feira contará com apresentações culturais e fornecimento de refeições com pratos saborosos e saudáveis do que há de melhor de nossa cultura alimentar.

Abaixo, segue a lista do que vocês, consumidores e consumidoras, poderão degustar e levar para casa e presentear parentes e amigos:

Alimentos saudáveis e livres de agrotóxicos
- Banana, melancia, manga, carambola e limão
- Cheiro-verde, vinagreira, alface, maxixe, quiabo, tomate e couve
- Farinhas
- Macaxeira
- Pimentas variadas
- Azeite de babaçu
- Biscoito de mesocarpo de babaçu
- Cocada
- Polpas de frutas (murici, buriti, cupuaçu, juçara etc.)
- Geleia de frutas nativas
- Mel de abelha apis
- Caranguejo, peixe e camarão
- Galinha caipira abatida e ovos de caipira
- Plantas medicinais e ornamentais

A Feira também ofertará grande diversidade de alimentos para serem consumidos no local.
Refeições
- Sururu ao leite de coco,
- Camarão (torta e bobó)
- Peixe frito
- Arroz de cuxá
- Pato ao molho pardo
- Galinha caipira
- Maxixada

Lanches
- Sucos naturais: caju e abacaxi
- Café
- Bolos: tapioca, macaxeira e de aveia (sem açúcar e sem leite)
- Mingau de mesocarpo de babaçu
- Caldo de macaxeira
- Macaxeira cozida.

Tudo isso e muito mais a preços acessíveis

Venha conferir e apoiar essa luta!

Pela comida de verdade no campo e na cidade!

Comer é um ato político

#somostodosresex!

 

(Fonte: Assessoria de comunicação)

ARARI CITY

A edição deste ano da Copa Arari de Futsal, competição patrocinada pelo governo do Estado e pelo El Camiño Supermercados por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, foi encerrada com muita festa e emoção. O Ginásio José Benedito Chaves Pestana, na cidade de Arari, recebeu, no sábado (30), um grande público que vibrou muito com as vitórias das equipes do Audax e do Arari City nas categorias Sub-17 Masculino e Feminino Adulto, respectivamente.

O primeiro grito de campeão do fim de semana ocorreu no Sub-17 Masculino. Em um jogo bastante equilibrado, o Audax teve muitas dificuldades para bater o City FC. A vitória apertada por 3 a 2 resume muito bem a partida.

Pelo Audax, Isaías, Rômulo e Marcos Vinícius marcaram os gols do título. Pelo lado do City FC, Adielson foi às redes duas vezes, mas não evitou o revés.

AUDAX_SUB-17

Feminino Adulto

Se a decisão do Sub-17 Masculino foi acirrada, a final do Feminino Adulto entre Arari City e Soberanas foi ainda mais emocionante. As meninas deram um “show” dentro de quadra e proporcionaram um verdadeiro espetáculo ao público.

No fim, o Arari City foi mais eficiente e contou com uma atuação de gala de Lelcyane, que anotou 3 gols. O outro tento foi marcado por Ellen. Pelo Soberanas, Beatriz, Vitória e Kayne marcaram, mas foi o Arari City quem comemorou o triunfo por 4 a 3 após o apito final.

Futebol Master

As disputas da Copa Arari de Futebol Master prosseguiram no último fim de semana com a realização de mais quatro jogos, todos realizados no Estádio Santo Figueredo. Pelo Grupo A, o JM fez 3 a 1 no Malvinas, manteve os 100% de aproveitamento e se garantiu nas semifinais com uma rodada de antecedência. Pela mesma chave, Mata e Mearim empataram por 1 a 1.

Nas duas partidas pelo Grupo B, duas goleadas. No domingo (1º), o Nacional foi impiedoso e massacrou o Stutgart por 12 a 0. No outro jogo da chave, o Operário fez 4 a 0 sobre o E.C. Arari e já está garantido nas semifinais.

Ao todo, oito times estão na Copa Arari de Futebol Master. As equipes foram distribuídas em duas chaves. O Grupo A é composto por Malvinas, Mata, Mearim e JM. Já o B é formado por Nacional, Operário, Esporte Clube Arari e Stutgart.

Todos os detalhes sobre a primeira edição da Copa Arari de Futebol e Futsal estão disponíveis nas redes sociais oficiais do evento (@copaararima).

(Fonte: Assessoria de comunicação)

Meninas têm melhor desempenho que meninos em leitura no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) 2018. Elas obtiveram 30 pontos a mais na prova, o que equivale a quase um ano de estudos de diferença em relação aos meninos. Os resultados da avaliação, que é referência mundial, foram divulgados, hoje (3), pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O resultado é a média dos países da OCDE, grupo formado por 37 países, entre eles, Canadá, Finlândia, Japão e Chile. No Brasil, não é muito diferente, as meninas tiraram 26 pontos a mais que os meninos em leitura. Elas também tiveram, entre os países da OCDE, um desempenho levemente superior em ciências, de dois pontos a mais que os meninos. No Brasil, o desempenho em ciências foi semelhante entre meninos e meninas.

Os meninos, no entanto, superaram as meninas em cinco pontos em matemática entre os países da OCDE. No Brasil, a diferença foi maior, de nove pontos a mais para eles, em média.

De acordo com os dados coletados pelo Pisa, no Brasil, há diferenças entre os dois grupos na hora de escolher a profissão que vão seguir. Entre os meninos com as melhores “performances” em matemática ou ciências, cerca de um a cada três espera, aos 30 anos, estar trabalhando com engenharia ou como cientista. Entre as meninas, apenas uma a cada cinco esperam o mesmo.

Entre as meninas com as melhores “performances”, cerca de duas a cada cinco esperam trabalhar em profissões ligadas à saúde. Entre os meninos, um a cada quatro esperam seguir as mesmas carreiras. Apenas 4% dos meninos e quase nenhuma menina pretende trabalhar com profissões ligadas a tecnologia da informação e comunicação.

O Pisa é aplicado a cada três anos e avalia estudantes de 15 anos quanto aos conhecimentos em leitura, matemática e ciências. Os países também podem optar por participar das avaliações de competência financeira e resolução colaborativa de problemas. Em 2018, o Pisa foi aplicado em 79 países e regiões a 600 mil estudantes. No Brasil, cerca de 10,7 mil estudantes de 638 escolas fizeram as provas.

Vida dos estudantes

No Brasil, 29% dos estudantes relataram sofrer “bullying” pelo menos algumas vezes por mês. Essa porcentagem é maior que a média dos países da OCDE, que é 23%. A maioria dos estudantes, 85%, no entanto, diz que é bom ajudar alunos que não podem defender-se. Entre os países da OCDE, a média é 88%.

O estudo mostra ainda que cerca de 23% dos estudantes brasileiros dizem que se sentem sozinhos na escola, enquanto a média da OCDE é 16%.

Metade dos alunos havia faltado um dia de aula e 44% haviam chegado atrasados nas duas semanas anteriores à aplicação do Pisa. Entre os países da OCDE, apenas 21% haviam faltado, e 48% chegaram atrasados.

A maior parte dos estudantes brasileiros, 90%, diz que sempre se sente feliz e, 77%, que geralmente encontram saídas para situações difíceis.

Pouco mais da metade dos brasileiros, 55%, diz que, quando falha, preocupa-se com o que os outros pensam. O relatório diz ainda que em quase todos os sistemas educacionais analisados, inclusive no Brasil, mulheres têm mais medo de falhar que os homens. A diferença entre os gêneros, segundo a OCDE, é maior ainda entre os melhores alunos.

(Fonte: Agência Brasil)

O Brasil teve uma leve melhora nas pontuações de leitura, matemática e ciências no Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), mas apenas dois a cada 100 estudantes atingiram os melhores desempenhos em, pelo menos, uma das disciplinas avaliadas. Os resultados da avaliação, que é referência mundial, foram divulgados, hoje (3), pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O Pisa 2018 foi aplicado em 79 países e regiões a 600 mil estudantes de 15 anos. No Brasil, cerca de 10,7 mil estudantes de 638 escolas fizeram as provas. O país obteve, em média, 413 pontos em leitura, 384 pontos em matemática e 404 pontos em ciências. Na última avaliação, aplicada em 2015, o Brasil obteve, 407 em leitura, 377 em matemática e 401 em ciências.

As pontuações obtidas pelos estudantes colocam o Brasil no nível 2 em leitura, no nível 1 em matemática e também no nível 1 em ciências, em uma escala que vai até 6. Pelos critérios da OCDE, o nível 2 é considerado o mínimo adequado. Ao todo, quase metade, 43,2% dos estudantes brasileiros ficaram abaixo do nível 2 nas três disciplinas avaliadas. Na outra ponta, apenas 2,5% ficaram nos níveis 5 e 6 em, pelo menos, uma das disciplinas.

O Brasil ficou abaixo das médias dos países da OCDE. Em leitura, os 37 países-membros do grupo, composto, por exemplo, por Canadá, Finlândia, Japão e Chile, obtiveram 487 pontos em leitura, 489, em matemática e 489, em ciências. Como na avaliação 35 pontos equivalem a um ano de estudos, o Brasil está a pouco mais de dois anos atrás desses países. Na OCDE, 15,7% dos estudantes estão nos níveis 5 e 6 em, pelo menos, uma disciplina, e 13,4% estão abaixo no nível 2.

O desempenho na avaliação posicionou o Brasil no 57º lugar entre os 77 países e regiões com notas disponíveis em leitura, na 70ª posição em matemática e na 64ª posição em ciências, com Peru e Argentina, em um “ranking” com 78 países. China e Singapura lideram os “rankings” das três disciplinas. O Brasil, nos três fica atrás de países latino-americanos como Costa Rica, Chile e México. Supera, no entanto, Colômbia e Peru em leitura e a Argentina em leitura e matemática.

Apesar de participar do relatório, os resultados do Vietnã não são comparáveis, de acordo com a OCDE e, por isso, não fazem parte do “ranking”, e a Espanha não teve os resultados de leitura divulgados.

Leitura

O Pisa é aplicado a cada três anos e, a cada edição, a ênfase é em uma das disciplinas. Nessa edição, o foco é em leitura. Em 2009, último ano, em que o foco foi em leitura, o Brasil obteve 412 pontos. De acordo com a OCDE, o Brasil não apresentou grandes saltos desde esse ano. “Depois de 2009, na matemática, assim como na leitura e na ciência, o desempenho médio pareceu flutuar em torno de uma tendência estável”, diz o relatório.

No Brasil, metade dos estudantes obteve, pelo menos, o nível 2 em leitura. Isso significa que esses estudantes são capazes de identificar a ideia principal de um texto de tamanho moderado e que podem refletir sobre o objetivo e a forma dos textos quando recebem instruções explícitas. Entre os países da OCDE, em média, 77% dos estudantes obtiveram esse desempenho.

Já os estudantes que obtiveram as melhores notas em leitura, que no Brasil representam apenas 2%, são capazes de compreender textos longos, lidar com conceitos abstratos e estabelecer distinções entre fato e opinião, com base em pistas implícitas relativas ao conteúdo ou fonte das informações. Entre os países da OCDE, 9% dos estudantes estão nos melhores níveis.

Matemática e ciências

Após queda na última avaliação, em 2015, a nota dos estudantes brasileiros em matemática voltou a crescer, mas apenas um a cada três estudantes, 32%, teve o desempenho mínimo – nível 2 ou superior. Entre os países da OCDE, três a cada quatro estudantes, 76%, obtiveram esse resultado.
Apenas 1% dos brasileiros está no nível 5 ou 6 em matemática. A média da OCDE é 11%. Esses alunos podem resolver situações complexas matematicamente.

Em ciências, 45% dos estudantes brasileiros estão, pelo menos, no nível 2, e 1% está entre os melhores. Entre os países da OCDE, essas porcentagens são, respectivamente, 78% e 7%.

Desigualdade

De acordo com a OCDE, o nível socioeconômico dos estudantes teve impacto no desempenho nas provas. No Brasil, a diferença de desempenho entre aqueles com nível socioeconômico alto e aqueles com nível baixo, foi de 97 pontos em leitura, o que equivale a quase três anos de estudo. Essa diferença superou a média da OCDE, que é de 89 pontos.

(Fonte: Agência Brasil)