1

Um excelente educador não é um ser humano perfeito,
mas alguém que tem serenidade para se esvaziar
e sensibilidade para aprender
 Augusto Cury

É inevitável que, nas homenagens, a magia do tempo não envolva o escritor, transpondo-o para o passado. É quase impossível não ceder à nostalgia e retroceder no tempo, deixando as lembranças tomarem forma em nossa mente.

“O passado e as recordações têm uma forma infinita”, observou Anatole France (escritor francês, cuja obra é marcada pelo estilo apurado, pela ironia e pelo ceticismo), ressaltando que o presente é árido e turvo, o futuro ninguém desvenda, toda a riqueza, todo o esplendor, toda a graça do mundo, tudo está no passado.

Pedro Nava, notável memorialista, diz que “é impossível restaurar o passado em estado de pureza. Basta que ele tenha existido para que a memória o corrompa com lembranças superpostas” (Balão Cativo, p. 221).

Não é fácil falar das pessoas simples. Homem caprichado em tudo, diria Guimarães Rosa, pela boca de Riobaldo.

“O homem, em sua caminhada pela vida, deixa toda espécie de pegadas”, escreve Margaret Rubeck. “Algumas a gente vê, como seus filhos e sua casa. Outras são invisíveis, como a expressão que ele deixa na vida de outros, o auxílio que dá ao próximo, as coisas que disse. O homem não repara, mas onde quer que passe, deixa uma espécie ou outra de marca. Todas somadas, constituem o sentido do homem”.

Permitam-me, agora, que eu possa também dizer algumas breves palavras de agradecimento a um professor que tive em casa. Talvez eu receba críticas por abrir espaço à minha intimidade. Mas não posso, não devo e não quero deixar passar esta oportunidade. Se ocupo este espaço, na condição de blogueiro, devo esta alegria ao jornalista, poeta, prosador, orador, declamador e professor Paulo Augusto Nascimento Moraes, meu pai, meu espelho, meu eterno mestre. Suas mãos é que me fizeram estar aqui. Sem esquecer, é claro, minha mãe... Maria Emília Ribeiro Silva..

Vi nele o orador impecável. Impressionava a todos pela postura, pelo gestual, pelo timbre grave de sua voz e, acima de tudo, pela excepcional destreza no manejo das palavras. Era um verdadeiro espadachim do verbo, que sabia dar golpes certeiros, fundamentalmente na defesa da sociedade menos favorecida – o povo.

Como seu filho e admirador, fiz dele modelo e fim. Sou professor como ele sempre será. Se não ombreá-lo, difícil fazê-lo, consola-me o haver pretendido, que pretensão, nesse particular, pode-se ter, que não é atrevimento.

Citando Augusto Cury: “O tempo pode passar e nos distanciar, mas jamais se esqueçam de que ninguém morre quando se vive no coração de alguém. Levaremos por toda a nossa história um pedaço do seu ser dentro do nosso próprio ser”.

AQUARELAS DE LUZ
Aquarelas de luz numa tarde de agosto!...
E bem junto de nós a canção das cigarras...
E, no azul deste céu, o agitar das fanfarras
Destes ventos do sul a beijar o Sol-Posto!

Fim de tarde a cair sem o mal de um desgosto!...
E este mar a gemer como sons de guitarras...
E este amor a morrer, a quebrar as amarras
Dessa grande aflição que ilumina o teu rosto!...

Caminhemos então!... Tudo é sombra, querida!...
As cigarras cantando!... As cigarras cantando
Afugentam de nós as tristezas da vida!

Esta tarde morreu!... Tu mo afirmas, num beijo!
Eu te digo que não, entre prantos, chorando,
Tu me dizes que sim, sepultando um desejo.
(Aquarelas de Luz, Paulo Augusto Nascimento Moraes)

Eis a minha homenagem!

Na gaiola... o silêncio!
Na gaiola de bambu
pendurada no teto,
iluminando o silêncio,
o curió enche de vazio
com os seus acordes.
No espaço da prisão,
bater de asas,
dá um sentido de liberdade.
Depois, mergulha
na piscina improvisada
no seu espaço limitado.
Sua revolta está
nas batidas que dá
com o corpo frágil,
vestido de penas.
Momentos, instantes
e volta com o canto
da sua libertação.
Todos os dias, eu o vejo assim
na gaiola de bambu.
E dele a lição de resistência,
dele a mensagem da compreensão,
da renúncia.
Ele sabe que seu dono,
seu senhor,
encontra nele sempre
um pouco de alegria para afugentar
tristezas.
E ele...
iluminando o silêncio.
(Momentos do meu Eu, Paulo de Tarso Moraes - inédito)

 

Dicionário de dúvidas, dificuldades e curiosidades da língua portuguesa – Luiz Antonio Sacconi
ALEITAR ≠ AMAMENTAR
Convém não confundir. Aleitar é dar de mamar a (usando a mamadeira ou qualquer outro dispositivo que o valha): A babá aleitou o bebê antes de dormir. A veterinária aleita o filhote de golfinho. O funcionário do zoo já aleitou o filhote de chimpanzé. Conclui-se daí que a combinação “aleitamento materno” é impropriedade. Amamentar é dar de mamar a (usando os peitos): Toda mãe deve amamentar seu bebê. Criança amamentada pela mãe desenvolve mais anticorpos.

Não erre mais! – Luiz Antonio Sacconi
aleitamento materno
É bobagem. Aleitamento é ato ou efeito de aleitar, ou seja, dar de mamar a, usando a mamadeira; amamentação é que é ato ou efeito de dar de mamar a, usando as mamas. Assim, um veterinário pode aleitar um filhote de golfinho, de chimpanzé, etc., mas não será imprudente a ponto de amamentá-los, com certeza.
Os médicos deveriam sempre aconselhar a amamentação, e não “o aleitamento materno”.
Recentemente, uma de nossas revistas semanais de informação deu esta notícia: Recentes pesquisas comprovam que, quanto maior o tempo de “aleitamento materno”, mais a inteligência do indivíduo na vida adulta. A composição do leite materno é vital para o desenvolvimento neurológico da criança.
Teria o jornalista sido amamentado?...

Corrija-se! de A a Z – Luiz Antonio Sacconi
aleitamento materno – é o correto?
Não, não é o correto. O que é aleitamento? È o ato de dar de mamar a um recém-nascido (que pode ser até um filhote de elefante), usando a mamadeira. O que é amamentação? É o ato de dar de mamar a, usando as mamas. Portanto, uma veterinária pode aleitar um filhote de elefante ou de chimpanzé, mas não será imprudente a ponto de amamentá-lo. Assim, os médicos deveriam sempre aconselhar às mães a amamentação, e não o “aleitamento”.

Acrescentando...
DICIONÁRIO “AURÉLIO
ALEITAR1 [De a-2 + leite + -ar2.]
Verbo transitivo direto.
1. Criar a leite; amamentar: “A tua menina cá fica entregue à Maria Lemenha,... que pode aleitar três crianças” (Camilo Castelo Branco, Vulcões de Lama, p. 97). 2. Tornar claro como leite.

ALEITAMENTO1 [De aleitar1 + -mento.]
Substantivo masculino.
1. Ato, processo, ou efeito de aleitar1; aleitação, amamentação.

AMAMENTAR [De a-2 + mamar + -entar.]
Verbo transitivo direto.
1. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar. 2. Alimentar, nutrir: Passa a vida a acobertar e amamentar as estroinices do filho. 3. Dar vida ou alento a: Existem aparentes virtudes que amamentam muitos vícios.

Verbo intransitivo.
4. Dar de mamar; criar ao peito: “teus seios miraculosos, / Que amamentaram sem perder / O precário frescor da pubescência” (Manuel Bandeira, Estrela da Vida Inteira, p. 88).

AMAMENTAÇÃO [De amamentar + -ção.]
Substantivo feminino.
1. Ato ou efeito de amamentar; alactamento.

DICIONÁRIO “HOUAISS”
ALEITAR
verbo transitivo direto
1 dar leite a, criar a leite; amamentar

transitivo direto
2 Estatística: pouco usado.
tornar branco ou claro como o leite

ALEITAMENTO
substantivo masculino
ato ou efeito de 1aleitar; amamentação, aleitação

AMAMENTAR
verbo
transitivo direto e intransitivo
1 alimentar ao seio; dar de mamar a; aleitar
Exs.: a. uma criança recém-nascida
seios que amamentam

transitivo direto
2 Derivação: por extensão de sentido.
dar qualquer alimento a; alimentar, cevar

transitivo direto
3 Derivação: sentido figurado.
dar vida, estímulo ou incentivo a; estimular
Exs.: o excesso de conforto às vezes amamenta a indolência
maus exemplos podem a. o vício

AMAMENTAÇÃO
substantivo feminino
ato ou efeito de amamentar; alactamento, aleitação, aleitamento

DICIONÁRIO “CALDAS AULETE”
ALEITAR
aleitar1 (a.lei.tar)
v.
1. Nutrir (criança pequena) com leite; AMAMENTAR [td. : Aleitou dois bebês ao mesmo tempo] [int. : Tinha condições de aleitar] 2. Fig. P.us. Tornar claro, sereno, como se fosse leite [td. ] [F.: a2 - + leit(e) + -ar2. V. tb. lactar.]

aleitar2 (a.lei.tar)
1. Pôr no leito ou na cama 2. Trabalhar a superfície de (uma pedra), para pôr outra em cima [F.: a-2 + leito + -ar2.]

ALEITAMENTO
aleitamento1 (a.lei.ta.men.to)
sm.
1. Ação ou resultado de aleitar1; AMAMENTAÇÃO [F.: aleita(r)1 + -mento.]

aleitamento2 (a.lei.ta.men.to)
1. Ação ou resultado de aleitar2. [F.: aleitar2 + -mento.]

AMAMENTAR (a.ma.men.tar)
v.
1. Dar o leite do peito a; ALEITAR: Amamentava o bebê com grande alegria 2. P.ext. Alimentar, nutrir (tb. Fig.) [F.: a -2 + mama + -entar.]

AMAMENTAÇÃO (a.ma.men.ta.ção)
sf.
1. Ação ou resultado de amamentar; ALEITAMENTO [Pl.: -ções.] [F.: amamentar + -ção.]

Tira-dúvidas de português – de A a Z – Alpheu Tersariol
Penalizar
Está bem redigida a frase:
A prefeitura vai penalizar os que estão em débito com o fisco?

Está mal redigida. O verbo penalizar não significa “punir”, “castigar”, “prejudicar”. O seu significado é “causar pena”.
Assim:
Todos os telespectadores ficaram penalizados com a doença do garoto.
Ficou penalizado pela situação do país.
Nada penalizava mais a mãe do que ver o filho drogado.

A confusão entre “causar pena” (dó) e “punir” reside no duplo sentido que tem a palavra “pena” (= castigo ou compaixão). Evite usar o verbo “penalizar”, em caso de dúvida. Use um seu substantivo, como, punir, prejudicar, castigar.
Assim:
A prefeitura vai punir os que estão com débito com o fisco.

Outros exemplos:
O aluno não deve ser castigado pelo diretor (e não: penalizado).
A inflação prejudica a vida econômica de uma nação (e não: penaliza).
A portaria tem por objetivo castigar os culpados (e não: penalizar).
O funcionário foi punido pela negligência (e não: penalizado).

Dicionário de dificuldades da língua portuguesa – Domingos Paschoal Cegalla
Penalizar
V.t.d.
1. Causar pena, afligir: Penalizava-o o ar de tristeza das crianças pobres / “Lúcia penalizou-se”. (José Américo de Almeida, A bagaceira, p. 67) / “Penalizava-me assistir a esses pequenos dramas”. (Maria José de Queirós, Joaquina, p. 52)
2. Impor penalidade a, punir: O Ibama penalizou a madeireira.
3. Prejudicar: Governo altera decreta para não penalizar trabalhador de baixa renda.
● Nas acepções 2 e 3, é neologismo dispensável. Prefira-se punir, prejudicar.

Manual de Redação e Estilo – jornal O Estado de S.Paulo
“Penalizar”
Significa somente causar pena ou desgosto a, magoar, afligir. Por isso, substitua-o por castigar, punir ou prejudicar em frases como: Governo muda IR para não “penalizar” (prejudicar) contribuinte. / Banco não deve ser “penalizado” (punido, castigado) no caso X. / O aluno acabou “penalizado” (punido) pela ousadia. / Aumento "penaliza" (prejudica, pune, castiga) ainda mais o consumidor.

O Português do dia a dia – prof. Sérgio Nogueira
PENALIZADO
É melhor só usar no sentido de “ter pena, dó, compaixão”: “Sentia-se penalizado diante de tanta miséria”. Embora já esteja registrado no novo Aurélio e no dicionário Houaiss, é bom evitar o uso de penalizado no sentido de “punido”: “O zagueiro foi punido (e não penalizado) com cartão vermelho".

Manual de Redação e Estilo – jornal O Globo
Penalizar
Não significa punir, mas ter pena.

Manual de Redação – jornal Folha de S.Paulo
Penalizar
Segundo o dicionário “Aurélio”, o verbo significa causar pena, afligir. Na Folha, não deve ser usado como sinônimo de punir.

Corrija-se! de A a Z – Luiz Antonio Sacconi
Penalizar – qual o verdadeiro significado?
Significa, em rigor, atormentar, afligir, causar desgosto, dor ou aflição a: Uma vitória simples do Palmeiras já penaliza os corintianos; uma goleada, então, é de matar! ● O suicídio do presidente penalizou toda a população brasileira.
Na língua cotidiana tem aparecido por apenar, punir ou por prejudicar: Fui “penalizado” por algo que não cometi. ● A inflação “penaliza” mais os assalariados. Aliás, Fui apenado (ou punido) por algo que não cometi. ● A inflação prejudica mais os assalariados.

DICIONÁRIO “CALDAS AULETE”
MÉDICO-VETERINÁRIO
adj. || que diz respeito à medicina veterinária.

DICIONÁRIO “HOUAISS”
MÉDICO-VETERINÁRIO
Acepções
■ adjetivo
1 relativo a medicina veterinária

■ substantivo masculino
2 especialista em medicina veterinária

Gramática
a) como subst., fem.: médica-veterinária; pl.: médicos-veterinários;
b) como adj., fem.: médico-veterinária; pl.: médico-veterinários

Volp 5ª Edição 2009
médico-veterinário s.m.; pl. médico-veterinários e médicos-veterinários

Observe:
“Segundo informações da Caixa Econômica Federal, 343 bilhetes acertaram a quina e devem receber R$ 10.298,59 cada. Outros 20.451 bilhetes acertaram quatro dezenas (quadra) e levarão R$ 172,08 cada”.

O pronome indefinido CADA sempre funciona como adjetivo, ou seja, jamais deve aparecer “sozinho”. Assim: “Cada macaco no seu galho”. Na ausência de um substantivo que o acompanhe, é preciso usar outro pronome que tenha valor de substantivo (“cada um”, “cada uma”, “cada qual”).

Veja, abaixo, o texto corrigido:
Segundo informações da Caixa Econômica Federal, 343 bilhetes acertaram a quina e devem receber R$ 10.298,59 cada um. Outros 20.451 bilhetes acertaram quatro dezenas (quadra) e levarão R$ 172,08 cada um.

Acrescentando...
Dicionário de Erros Correntes da Língua Portuguesa – João Bosco Medeiros e Adilson Gobb
cada – Não deve aparecer o pronome isoladamente; Os livros custaram R$ 130 cada um.

1001 Dúvidas de Português – José de Nicola e Ernane Terra
CADA
O pronome indefinido cada não deve ser utilizado desacompanhado de substantivo ou numeral, portanto é incorreto dizer: Os livros custaram vinte reais cada, Vendia frango a dois reais cada. Corrija-se para:
Os livros custaram vinte reais cada um.
Vendia frango a dois reais cada quilo.

Michaelis Português Fácil – Tira-dúvidas de redação – Douglas Tufano
cada um, cada uma
Quando não acompanha um substantivo, o pronome indefinido CADA deve ser seguido de UM ou UMA: Esses livros custam cinco reais cada um. / Essas mercadorias estão sendo vendidas por dez reais cada uma. ♦ Embora venha generalizando-se o uso sozinho de CADA, a norma culta recomenda que se diga CADA UM ou CADA UMA.

Dicionário de dificuldades da língua portuguesa – Domingos Paschoal Cegalla
cada
Pronome indefinido distributivo.
1. Pode referir-se à unidade num grupo de seres ou a um conjunto deles: Cada animal estava em sua jaula. / Em cada cem homens, dois eram analfabetos.
2. No segundo caso, o verbo concorda no plural: Cada três livros custavam 60 reais.
3. Emprega-se cada um(a), e não simplesmente cada, em frases como: Os livros custaram 50 reais cada um. / As máquinas custam mil dólares cada uma. / Os ingressos eram vendidos a 40 reais cada um (e não a 40 reais cada).
(...)

Manual de Redação e Estilo – jornal O Estado de S.Paulo
Cada
1 – Acompanha um substantivo, outro pronome ou numeral e, no uso correto, indica diversidade de ação: Usa cada dia (um dia um, outro dia outro) um terno diferente. / Cada jornalista tem seu estilo. / Cada macaco no seu galho.
2 – Se a ação for a mesma, deve-se usar todo: Faz a barba todo dia (em vez de cada dia). / Estuda inglês todo dia (e não cada dia). / Muda de casa todo ano (e não cada ano).
3 – Não pode ser usado antes de plural (cada férias, cada óculos, cada núpcias), mas apenas antes de numeral: cada três dúzias, cada seis pessoas, cada 30 dias. Concordância, neste caso: Cada três dúzias custam... / Cada seis pessoas vão... / Cada 30 dias representam...
4 – Pode combinar-se com qual e um, quando falta o substantivo: Cada qual sabe o que fazer. / Venha cada qual com seu par./ Cada um herdará duas casas. / Veja se cada uma sabe como agir.
5 – Cada um é também a forma correta nas referências a valores expressos anteriormente: As blusas custam 40 reais cada uma (e não 40 reais cada). / Vendia livros a 30 reais cada um (e não a 30 reais cada).
6 – Não se usa cada um, porém, antes de substantivos que indicam valor ou medida: Cada hora (e não cada uma hora), cada real (e não cada um real), cada quilômetro, cada quilo, cada ano etc. A razão: cada já encerra a idéia de unidade.

 

DICIONÁRIO "AURÉLIO"
Aterrissar [Do fr. atterrisser.]
Verbo intransitivo. Bras. Gal.
1. Pousar em terra (aeronave); aterrizar, aterrar.
2. Descer a terra; aterrizar, aterrar. [Aterrar, melhor f., é p. us. no Brasil.]

Aterrissagem [Do fr. atterrissage.]
Substantivo feminino.
1. Bras. Gal. Ato de aterrissar; aterragem, aterrizagem. [Aterragem, melhor f., é p. us. no Brasil.]

Aterrizar [De a-2 + terra + -izar.]
Verbo intransitivo.
1. Bras. V. aterrissar.

Aterrizagem [De aterrizar + -agem2.]
Substantivo feminino.
1. V. aterrissagem.

DICIONÁRIO "CALDAS AULETE"
ATERRISSAR (a.ter.ris.sar)
v.
1 Levar ou ir ao solo (ger. uma aeronave ou quem nela estiver), encerrando o voo; ATERRAR; POUSAR [td.: O piloto aterrissou o avião suavemente.] [int.: Depois de três horas de viagem, aterrissamos (em Brasí­lia).] 2 Pop. Fig. Chegar repentinamente em. [ta.: Dezenas de pedidos aterrissaram na mesa do prefeito.] [F.: Voc. deduzido de aterrissagem (< fr. atterrissage < vfr. aterrir + -age). Sin. ger.: aterrizar.]

ATERRISSAGEM (a.ter.ris. sa. gem)
sf.
1 Aer. Ação ou resultado de aterrissar, de pousar em terra; ATERRAGEM; POUSO; ATERRIZAGEM [Pl.: -gens.] [F.: Do fr. atterrissage (do v.fr. aterrir + -age, seg. a morfologia fr.); ver -agem2.]

ATERRIZAR (a. ter.ri.zar)
v.td. int.
1 O mesmo que aterrissar. [F.: a-2 + terra + -izar.]

ATERRIZAGEM (a.ter.ri.za.gem)
sf.
1 O mesmo que aterrissagem [Pl.: -gens] [F.: aterrizar + -agem2.]

DICIONÁRIO "HOUAISS"
ATERRISSAR
verbo
Regionalismo: Brasil.
intransitivo
1 Rubrica: termo aeronáutico.
m.q. 2aterrar ('descer ou pousar')

intransitivo
2 Derivação: por extensão de sentido. Uso: informal.
descer, pousar (em qualquer lugar)
Ex.: o homem ainda vai a. em Marte

intransitivo
3 Derivação: sentido figurado. Uso: informal, jocoso.
chegar a (lugar)
Ex.: procurava um bom hotel, mas aterrissou numa espelunca

intransitivo
4 Uso: informal, jocoso.
cair estendido, sobre qualquer coisa, após queda ou tombo
Exs.: tropeçou na pedra e aterrissou na calçada
caiu da janela e aterrissou em cima da árvore

ATERRISSAGEM
substantivo feminino
m.q. aterragem ('ação')

ATERRIZAR
verbo
Regionalismo: Brasil.
intransitivo
m.q. aterrissar

Volp 5a. Edição 2009
aterrissar v.
aterrissagem s.f.
aterrizar v.

* "aterrissagem" - não há registro no Volp. 

Acrescentando...
Dicionário de dificuldades da lí­ngua portuguesa - Domingos Paschoal Cegalla
Aterrissar: V.i. Veja aterrar1 , item 2.

Aterrar1. [De a+terra+ar.] 1. Encher de terra: Aterraram o pântano. 2. Descer à  terra, pousas (a aeronave), aterrissar: O avião aterrou no Recife às 12 horas. / "Procurava distrair-se, vendo os aviões que decolavam ou aterravam" (Érico Verí­ssimo, O senhor embaixador, p. 273.)

Manual de Redação e Estilo - O Estado de S.Paulo
Aterrissar. 1 - Com dois ss. Use também pousar e descer. 2 - Evite os modismos aterrissar na mesa de alguém, aterrissar no Congresso, aterrissar no Planalto, etc. 3 - Para pouso na Lua, use os termos alunissar e alunissagem.

Corrija-se! de A a Z - Luiz Antonio Sacconi
aterrar e aterrissar -  qual é a correta?
As duas são formas corretas, na acepção de pousar. A primeira é legitimamente portuguesa (a+terra+ar); a segunda é um galicismo que vingou. Os substantivos correspondentes são, respectivamente, aterragem e aterrissagem.

Vinícius de Moraes , ao compor a letra  de Samba do avião, usou com muita propriedade aterrar, mas alguém (que não poeta, naturalmente) pensou, com pesar, que aterrar poderia ser confundido com aterrorizar. E, ao cantar a canção, mudou para pousar. O sentido é o mesmo, porque avião que aterra, pousa, mas a música perdeu muito, não só em originalidade, mas também em beleza.

Há dicionaristas que registram "aterrizar", mas incompreensivelmente não registram "aterrizagem". Por que, ninguém sabe.

Manual de Redação e Estilo- O Globo
Aterrisagem - Galicismo, mas de uso generalizado. Pode-se escrever também aterragem. Errado: "aterrisagem".

1001 dúvidas de português -  José de Nicola e Ernane Terra
ATERRISSAR
Note a grafia dessas palavras: aterrissar, aterrissagem. Da mesma forma devemos grafar: amerissar ("pousar na água"), amerissagem, alunissar, alunissagem.

 

 

 

A locução ÀS CUSTAS DE é cada vez mais usada, principalmente na língua falada. Dois pontos comprovam essa tendência:
1) o número de registros escritos com a expressão;
2) a locução começa a ser aceita por alguns dicionários.

A maioria dos registros sobre o assunto, no entanto, ainda recomenda a forma À CUSTA DE.

É o caso do dicionário Michaelis e do Aurélio, de onde extraio dois exemplos:
a) “Faz concessões à custa da honra”.
b) “Obteve o poder à custa de traições”.

Parece haver resistência por parte de alguns gramáticos quanto ao uso da construção no plural. Na dúvida, utilize no singular: À CUSTA DE.

DICIONÁRIO “AURÉLIO”
Custa [De custo.]
Substantivo feminino.
1. Ant. Dispêndio, despesa.
2. Custo, expensas: O serviço foi feito a minha custa. ~ V. custas.

À custa da barba longa. 1. Sem trabalhar; à custa do pai.
À custa de. 1. Com sacrifício, dano, ou prejuízo de:  Faz concessões à custa da honra. 2. Com o emprego, a prática ou o auxílio de; à força de, a poder de: Aquele burro só anda à custa de pancadas; Obteve o poder à custa de traições. 3. Com recursos ou dinheiro de; a expensas de:  Vive à custa do sogro.
À custa do pai. 1. À custa da barba longa (q. v.)

Custas [Pl. de custa.]
Substantivo feminino plural.
1. Despesas feitas em processo judicial. ~ V. custa.

DICIONÁRIO “HOUAISS”
CUSTA
n substantivo feminino
Diacronismo: antigo.
1 despesa, dispêndio, gasto com alguma coisa
Ex.: o soberano fez muita c.

CUSTAS
n substantivo feminino plural
Rubrica: direito processual.
2 despesas previstas em lei e devidas pela formação de atos judiciais

DICIONÁRUIO “AULETE”
CUSTA (cus.ta)
sf.
1. P.us. Despesa, gasto, dispêndio; EXPENSAS [F.: Dev. de custar.]

À custa da barba longa
1 Sem trabalhar; à custa do pai.

À(s) custa(s) de
1 Ao preço de, com o sacrifício de: Dedicou-se à família, à custa de sua carreira.
2 Graças a, por meio de: Passou de ano, à custa de muito esforço.
3 A expensas de: Sustenta a família à custa do irmão.

À custa do pai
1 Ver À custa da barba longa.

CUSTAS (cus.tas)
sfpl.
1. Jur. Despesas, previstas em lei, ref. a processo judicial.: Foi o pai quem lhe pagou as custas da ação. [F.: Dev. de custar.]

Acrescentando...
Dicionário de dificuldades da língua portuguesa – Domingos Paschoal Cegalla
à custa de, às custas de
À custa de. Significa à força de, a poder de, com o emprego de, com o sacrifício ou o dano de, a expensas de: Realizei meu sonho à custa de muito suor. / Burro só anda à custa de chibatadas. / Ficou rico à custa da desgraça alheia. / Dedicou-se aos doentes à custa da própria saúde. / Não devemos viver à custa dos outros. / “À custa de quem se vestem estes Narcisos e Adônis?” (Camilo Castelo Branco, A queda dum anjo, p. 51).
2. Às custas de. O uso generalizado legitima a variante às custas de, no sentido de a expensas de: João vive às custas do pai. / Ele casou por interesse, vive às custas da mulher, que é rica. / Indivíduos corruptos, eles enriqueceram às custas dos cofres públicos.
* Expensas são gastos, despesas.
O plural custas é usual nas expressões : às tuas custas, às minhas custas: “Ganham, sim, mas não às nossas custas” (Luís Jardim).

Corrija-se! de A a Z – Luiz Antonio Sacconi
À custa de – é a locução correta?
É a locução correta, e não “às custas de”: Ele vive à custa da mulher.

Michaelis Português Fácil – Tira-dúvidas de redação – Douglas Tufano
à custa de
Essa é a forma certa (e não “às custas de”): Ela vice à custa dos pais.

O Português do dia a dia – Prof. Sérgio Nogueira
CUSTA
Segundo a tradição, o correto é à custa de: Ela vivia à custa do pai.

Tira-dúvidas de português – de A a Z – Alpheu Tersariol
Custas
É uma palavra empregada apenas no plural para designar despesas judiciais. Exemplo: O réu pagou as custas do processo.
Atenção: Deve-se dizer, no entanto: à custa de (e não: às custas de): Estuda à custa do pai.

Dicas da Dad – português com humor – Dad Squarisi
[...]
As despesas são feitas à custa do pai ou às custas do pai? (...) Singular ou plural?
A dúvida tira o sossego de (...). Singular: O serviço foi feito a minha custa. Faz concessões à custa da honra. Burro empacado não anda nem à custa de pancadas. (...)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DICIONÁRIO “AURÉLIO”
caratê [Do jap. karate.]
Substantivo masculino.
1. Método de ataque e defesa pessoal difundido pelos japoneses, e que se funda na educação da vontade e num apurado treinamento físico. [Segundo alguns, originou-se na China, mas foi em Okinawa (Japão), onde havia uma forma de combate semelhante baseada em golpes de mãos e de pés, que se aperfeiçoou.] [Cf. caraté.]

DICIONÁRIO “CALDAS AULETE”
CARATÊ (ca.ra.tê)
sm.
1 Arte marcial oriental, utilizada como método de ataque e defesa pessoal, em que são us. os pés e as mãos. [Fundamenta-se no controle da vontade.] [F.: Do jap. karate. Cf.: caraté.]

DICIONÁRIO “HOUAISS”
CARATÊ
n substantivo masculino
antiga arte marcial oriental, hoje método de defesa pessoal, em que se usam apenas as mãos e os pés

Volp 5ª Edição 2009
caratê s.m. “luta marcial”; cf. caraté

Acrescentando...
DICIONÁRIO “AURÉLIO”
Carateca [De caratê.]
Substantivo de dois gêneros.
1. Bras. Lutador de caratê.

 DICIONÁRIO “HOUAISS”
CARATECA
n substantivo de dois gêneros
Regionalismo: Brasil.
pessoa que luta caratê

DICIONÁRIO “CALDAS AULETE”
CARATECA (ca.ra.te.ca) [é]
s2g.
1. Bras. Esp. Pessoa que luta caratê [F.: Do jap. karateka.]

Volp 5ª Edição 2009
carateca s.2g.

 

 

 

Dicionário de dificuldades da língua portuguesa – Domingos Paschoal Cegalla
entre
Prep.
1. Diz-se ‘entre uma coisa e outra’. Portanto: Havia, na estante, entre 50 e 60 livros (e não entre 50 a 60 livros). Da mesma forma: A idade dos jogadores variava entre 17 e 19 anos. / Telefone-me entre as 10 e as 12 horas. / A rentabilidade da poupança, no mês, deverá ficar entre 1,5 e 2 por cento.
2. Em frases como as seguintes, entre, anteposto a dois adjetivos, indica meio-termo: O cabelo, entre castanho e louro, caía-lhe graciosamente sobre o colo. / “Carlota anunciou-me hoje, entre alegre e apreensiva, que suspeitava estar grávida”, (Ciro dos Anjos, Abdias, p. 58)

Manual de Redação e Estilo – jornal O Estado de S.Paulo
entre... e
Usa-se e e não a em frases como: Entre 15 e 20 pessoas estavam ali. / Chegará entre as 20 e as 22 horas. / A idade dos candidatos variava entre 18 e 25 anos.

Michaelis – Português Fácil – Tira-dúvidas de Redação – Douglas Tufano
entre 10 e 12 anos
Devemos dizer “entre uma coisa e outra”: Na sala, havia entre 30 e 40 alunos (e não “entre 30 a 40 alunos”) / A idade dos fósseis variava entre 5 e 10 milhões de anos (e não “entre 5 a 10 milhões de anos”) / Ele deverá chegar entre os dias 12 e 15 (e não “entre os dias 12 a 15).
● O uso do “a” é correto quando usamos a preposição “de”: Para fazer o filme, ele procurava crianças de 10 a 12 anos.

CORRIJA-SE! de A a Z – Luiz Antonio Sacconi
entre... e – é a correlação certa?
A preposição que se correlaciona com a preposição entre é e: Foram vacinadas todas as crianças entre 1 e 3 anos de idade. / Foram dolorosos os dias que mediaram entre 20 e 30 de abril.

Não são poucas as vezes em que redatores erram ao grafar a palavra MAUS-TRATOS.

É comum aparecer no seu lugar a forma “maltratos” – inexistente, diga-se de passagem.

MALTRATO existe, mas é uma forma verbal:
“Eu não maltrato os animais”.

O substantivo é composto e escreve-se sempre no plural:
“Fulano foi vítima de maus-tratos”.

Em MAUS-TRATOS, o adjetivo MAUS qualifica o substantivo TRATOS (daí a concordância entre eles). Os dois elementos, adjetivo e substantivo, juntos constituem um substantivo composto.

DICIONÁRIO “CALDAS AULETE”
MAUS-TRATOS (maus-tra.tos)
Sm pl.
1 Jur. Crime de submeter alguém, sob sua guarda, a tratamento desumano, trabalhos forçados e/ou privação de alimentos e cuidados. [F.: Do pl. de mau + o pl. de trato.]

DICIONÁRIO “AURÉLIO”
maus-tratos [Do pl. de mau + o pl. de trato1.]
Substantivo masculino plural.
1. Jur. Crime de quem expõe a perigo a vida ou a saúde de pessoa que se acha sob sua autoridade, guarda ou vigilância, para fins de educação, ensino, tratamento ou custódia, seja privando-a de alimentação ou cuidados indispensáveis, seja impondo-lhe trabalho excessivo ou impróprio, seja abusando de meios corretivos ou disciplinares.

DICIONÁRIO “HOUAISS”
maus-tratos
Acepções
■ substantivo masculino plural
Rubrica: direito penal.
delito de quem submete alguém, sob sua dependência ou guarda, a castigos imoderados, trabalhos excessivos e/ou privação de alimentos e cuidados, pondo-lhe, assim, em risco a vida ou a saúde

Volp 5ª Edição 2009
maus-tratos s.m.pl.

Acrescentando...
Corrija-se! de A a Z
- Luiz Antônio Sacconi
Maus tratos são sevícias, tormento, flagelo, tortura, mau tratamento. Há pais que dão maus tratos aos filhos, não merecendo esse nome.
Maus-tratos é termo jurídico e significa crime cometido por aquele que põe em risco a vida ou saúde de pessoa que está sob sua autoridade, guarda ou vigilância.

Manual de Redação e Estilo - jornal O Globo
maus-tratos
Não "maltrato". Mas existe maltratado, do verbo maltratar.

Dicionário prático de regência nominal – Celso Pedro Luft
MAUS-TRATOS
s.m.
em: Nova arma para “detectar casos de maus-tratos em crianças” (GM 2.12.88, 9).