Skip to content

A partir desta quarta-feira (12), a cidade de São Luís vai sediar a segunda etapa do Campeonato Maranhense de Beach-Soccer de Seleções Municipais 2021, competição patrocinada pela Equatorial Energia e pelo governo do Estado por meio da Lei de Incentivo ao Esporte. Sem a presença de público, o torneio ocorrerá na Arena Domingos Leal, na Lagoa da Jansen, até domingo (16), e contará com a participação de seis equipes: Bacabeira, Itapecuru-Mirim, Paço do Lumiar, Raposa, São José de Ribamar e a anfitriã São Luís. Os jogos terão transmissão ao vivo pelo canal Beach-Soccer MA, no YouTube (youtube.com/beachsoccerma), sempre a partir das 14h30.

A primeira rodada da etapa de São Luís do Campeonato Maranhense será aberta com o duelo entre São José de Ribamar e Bacabeira. Na sequência, a bola sobe para Itapecuru-Mirim x Paço do Lumiar e São Luís x Raposa.

As seis seleções participantes desta etapa foram distribuídas em dois grupos. Na primeira fase, as equipes do Grupo A (Itapecuru-Mirim, São José de Ribamar e Raposa) enfrentam as do B (Bacabeira, Paço do Lumiar e São Luís). Os dois melhores times de cada chave avançam às semifinais e seguem com chances de conquistar o título.

Os finalistas do torneio na capital maranhense se garantem automaticamente na fase final do Campeonato Maranhense, prevista para ocorrer no mês de junho. Até agora, as seleções de Humberto de Campos e de Santo Amaro, campeã e vice da primeira etapa, respectivamente, já estão garantidas na fase decisiva do torneio e aguardam a definição dos demais classificados.

“A primeira etapa do Campeonato Maranhense, em Humberto de Campos, foi um sucesso, e isso nos anima para as próximas etapas do torneio. Agora, em São Luís, nossas expectativas são as melhores possíveis e temos certeza de que quem acompanhar os jogos pela internet vai assistir a partidas disputadas e de bom nível técnico”, afirmou o diretor-técnico do torneio, Gilberto Nogueira.

Maranhense 2021

O Campeonato Maranhense de Beach-Soccer de Seleções Municipais 2021 conta com os patrocínios da Equatorial Energia e do governo do Estado, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte. Neste ano, a competição será realizada em seis etapas, sendo a última com as equipes classificadas nas fases anteriores.

Cada etapa será realizada em uma região diferente. Em 2021, as cidades de Humberto de Campos, São Luís, Santa Inês, Lima Campos e Pinheiro receberão os jogos do estadual. De acordo com a organização do torneio, a expectativa é que a fase final ocorra somente entre os dias 9 e 13 de junho.

Além disso, cada uma das etapas seguirá todas as recomendações sanitárias para a realização de eventos esportivos, como distanciamento social, uso obrigatório de máscaras nas arenas, disponibilização de álcool em gel e sem a presença de público.

ETAPA DE SÃO LUÍS

PRIMEIRA RODADA / QUARTA-FEIRA (12)

14h30 – São José de Ribamar x Bacabeira

A seguir – Itapecuru-Mirim x Paço do Lumiar

A seguir – São Luís x Raposa

SEGUNDA RODADA / QUINTA-FEIRA (13)

14h30 – Raposa x Bacabeira

A seguir – São Luís x Itapecuru-Mirim

A seguir – São José de Ribamar x Paço do Lumiar

TERCEIRA RODADA / SEXTA-FEIRA (14)

14h30 – Itapecuru-Mirim x Bacabeira

A seguir – Raposa x Paço do Lumiar

A seguir – São Luís x São José de Ribamar

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Aurora

A bola vai voltar a rolar, nesta sexta-feira (14), pela segunda edição da Copa Papai Bom de Bola – categoria +30, competição promovida pela Federação Maranhense de Futebol 7 (FMF7). Seguindo as recomendações sanitárias para a realização de eventos esportivos, a Arena Olynto, no Olho d’Água, receberá duas partidas a partir das 20h15. Os jogos abrem a segunda rodada do torneio.

A rodada dupla será iniciada com o duelo entre Meninos de Ouro/AABB e Craques da Veneza. Enquanto a equipe do Meninos de Ouro/AABB entra em campo pela primeira vez na competição, o Craques da Veneza busca a reabilitação, já que perdeu na rodada passada, para o Eurofoot por 6 a 4.

Na sequência, às 21h15, tem Aurora x Ponte Preta Ludovicense. Na rodada passada, o time alvinegro da Ponte goleou o Grêmio Ribamarense por 8 a 2 e lidera o Grupo B com 3 pontos. Já o Aurora, inicia sua caminhada rumo ao título querendo um resultado positivo em sua estreia, na Copa Papai Bom de Bola – categoria +30.

Mais jogos

A segunda rodada da Copa Papai Bom de Bola – categoria +30 será encerrada no sábado (15), com a realização de mais quatro partidas, a partir das 14h45, na Arena Olynto: Eurofoot x Cruzeiro São Luís, Olímpica x Flamengo, Grêmio Ribamarense x Jeito Moleque e Juventude Maranhense x Grêmio Maranhense. 

Categoria +40

No último sábado (8), a FMF7 realizou mais uma rodada da Copa Papai Bom de Bola – categoria +40. Os resultados foram os seguintes: Palmeirinha 5 x 2 Juventus Academy São Luís, Flamengo 5 x 1 S.E.B. Alemanha e Craques da Veneza 2 x 7 Juventude Maranhense.

Tudo sobre a segunda edição da Copa Papai Bom de Bola de Futebol 7 está disponível no site (www.fut7ma.com.br) e nas redes sociais oficiais da federação (@fmf7ma).

PRÓXIMOS JOGOS

Sexta-feira (14/5) / Arena Olynto Campo I

20h15 – Meninos de Ouro/AABB x Craques da Veneza (+30)

21h15 – Aurora x Ponte Preta Ludovicense (+30)

Sábado (15/5) / Arena Olynto Campo I

14h45 – Eurofoot x Cruzeiro São Luís (+30)

16h – Olímpica x Flamengo (+30)

Sábado (15/5) / Arena Olynto Campo II

14h45 – Grêmio Ribamarense x Jeito Moleque (+30)

16h – Juventude Maranhense x Grêmio Maranhense (+30)

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Mais uma rodada do Campeonato Maranhense de Futsal Adulto Masculino, competição promovida pela Federação de Futsal do Maranhão (Fefusma), foi realizada no último fim de semana, no Ginásio da Apcef, no Bairro do Calhau. Ao todo, quatro partidas movimentaram o torneio na tarde de domingo (9). Destaque para as vitórias do Sampaio Araioses, do Villa Nova e da Associação de Futsal Shekina.

Após empatar na estreia da competição, o Sampaio Araioses entrou em quadra precisando vencer para continuar com chances de classificação. A equipe do interior atropelou a Associação Magnólia por 6 a 1, chegou aos 4 pontos ganhos e assumiu a liderança do Grupo B.

Apesar da derrota, a Associação Magnólia ocupa a segunda colocação na chave, com 3 pontos, graças ao empate por 1 a 1 entre Juventud F.C. e A.D. Atletas do Futuro na rodada. Com os resultados desse domingo, as quatro equipes do Grupo B seguem com chances de avançar à segunda fase.

Quem também se deu bem na rodada foi a Associação de Futsal Shekina, da cidade de Humberto de Campos. Após estar perdendo por 2 a 0 para o Túnel F.C, o Shekina conseguiu uma vitória na raça por 3 a 2 para assumir a ponta do Grupo A ao lado do Ippon Cruzeiro Apcef.

No último jogo de ontem, o Villa Nova goleou o Palermo por 6 a 2. Com a vitória, a equipe da cidade de Santa Inês iguala a pontuação do A.C. Viana. Ambas dividem a primeira colocação no Grupo D.

Campeonato Maranhense

Promovido pela Federação de Futsal do Maranhão, esta edição do Campeonato Maranhense de Futsal Adulto Masculino corresponde ao torneio de 2020, que estava previsto para ocorrer no segundo semestre do ano passado, mas não pôde ser realizado devido às restrições ocasionadas pela pandemia do novo coronavírus (covid-19). Dessa maneira, o Estadual de 2020 só está podendo ser realizado agora com a participação de 16 clubes de sete cidades diferentes.  

Na primeira fase, os times foram distribuídos em quatro grupos, onde se enfrentarão entre si dentro de suas respectivas chaves. As duas melhores equipes de cada grupo avançam para as quartas de final.

Além da categoria Adulto Masculino, o Estadual 2020 contará com disputas em outras 11 categorias, incluindo as categorias Sub-14, Sub-16 e Sub-19 Feminino, novidades desta edição. A previsão é que os demais torneios sejam iniciados nas próximas semanas.

GRUPOS

Grupo A:

Associação de Futsal Shekina (Humberto de Campos), Clube Atlético Peniel (São Luís), Túnel F.C. (São Luís) e Ippon Cruzeiro Apcef (São Luís)

Grupo B:

Associação Magnólia (São Luís), Juventud F.C. (Viana), A.D. Atletas do Futuro (São Luís) e Sampaio Futsal Araioses (Araioses)

Grupo C:

Brigadeiro Falcão (São Luís), Associação Balsas Santos F.C (Balsas), Associação Atlef (São Luís) e Inovar F.C. (São Luís)

Grupo D:

Palermo (Santa Inês), Titans (Itapecuru-Mirim), Atlético Clube Viana (Viana) e Villa Nova (Itapecuru-Mirim)

RESULTADOS

Domingo (9/5) // Ginásio da Apcef

Associação Magnólia 1 x 6 Aesfa

Palermo 2 x 6 Villa Nova

Túnel F.C. 2 x 3 Associação de Futsal Shekina

Juventud F.C. 1 x 1 A.D. Atletas do Futuro

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Pesquisa realizada pela União Brasileira de Compositores (UBC) junto a compositoras, intérpretes, musicistas, produtoras fonográficas e técnicas, não necessariamente associadas à entidade, e respondida por 252 profissionais do setor do sexo feminino, constatou que 79% das mulheres na música já sofreram discriminação de gênero e 53% jamais receberam valores de direitos autorais, porque não tinham músicas tocando em algum lugar ou não eram associadas à UBC.

Segundo a coordenadora de Novos Negócios da UBC, Vanessa Schütt, o resultado da enquete é um reflexo da sociedade brasileira. “O sistema patriarcal e machista que ainda vigora no país está presente nos depoimentos de várias mulheres que participaram da sondagem e comprova o que o relatório anual Por Elas Que Fazem a Música, lançado pela UBC em março passado, já atestava”, disse. 

O relatório tinha por finalidade medir a participação feminina entre os associados e revelou, por exemplo, que do total de associados da UBC, só 15% são mulheres, e dentro dos 100 maiores arrecadadores, só 9% são do sexo feminino.

“Em uma entrevista de rádio me perguntaram por que eu, cantora sertaneja, não chamo um homem para fazer dupla comigo. O entrevistador disse que, ao estar acompanhada de um homem, seria mais fácil vender show e até mesmo um empresário investir em mim”, declarou uma artista à pesquisa.

Ambiente hostil

A pesquisa, inédita e aberta, divulgada torna visível a dificuldade enfrentada pelas profissionais do setor da música em um ambiente hostil. Do total de participantes da pesquisa, 33% são compositoras; 30% se disseram intérpretes; 19% são produtoras fonográficas; 17% são músicas executantes; e 3% trabalham em outras áreas dentro da música, como funções técnicas, por exemplo. Várias responderam que atuam em mais de uma função.

Por regiões, a maior parte, equivalente a 63%, são oriundas da Região Sudeste, seguindo-se Nordeste, Sul, Centro-Oeste e Norte. Por faixa etária, a maioria (35%) tem de 31 a 40 anos de idade; 28% até 30 anos; e 24%, de 41 a 50 anos de idade.

“Uma coisa que a gente queria pegar e que não tem na nossa base de dados é a orientação sexual”, disse Vanessa. A ideia da UBC é incluir a pergunta também nas próximas pesquisas para ampliar sua base de dados.

As respostas à enquete sinalizam avanços na aceitação às diferenças no mercado musical: 55% se definiram como mulheres cisgênero heterossexuais, 23% como cis bissexuais; 17% como cis homossexuais, e pouco mais de 1% como mulheres transgênero.

Escolaridade

A pesquisa aponta que 60% das mulheres se declararam brancas, contra 40% de pardas, pretas, amarelas e indígenas. Em relação à escolaridade, a enquete mostrou que 46% têm curso superior completo, 12% têm mestrado e doutorado e apenas 3% têm segundo grau incompleto ou menor escolaridade. 

A maior ou menor escolaridade, entretanto, não interfere no recebimento de valores autorais: 53% declararam nunca ter recebido nenhum valor de direitos autorais, e 51% afirmaram receber, no máximo, R$ 800 anuais oriundos dessa fonte. As que recebem mais de R$ 54 mil em direitos autorais representam apenas 3% das respondentes. 

Segundo a UBC, elas traduzem “a grande disparidade na distribuição dos rendimentos, verificada em outros levantamentos, e que se deve, entre outros fatores, à dificuldade de inserção para artistas independentes e de fora do mainstream [corrente dominante] no mercado musical como um todo”.

Vanessa Schütt disse que a intenção da UBC é aumentar sempre no relatório e pesquisas as questões envolvendo a mulher, “para as pessoas entenderem que a desigualdade existe e todo mundo deve se mexer e refletir para fazer alguma coisa para mudar esse quadro”.

A maioria das participantes se declarou solteira (53%), 68% não têm filhos, o que pode indicar a dicotomia entre dedicar-se à carreira ou formar uma família, que é frequentemente imposta às mulheres não só no meio musical, mas no mercado como um todo. 

Por meio da enquete e do relatório anual, a UBC pretende destacar a necessidade de equiparação de condições de trabalho e rendimentos entre homens e mulheres no mercado musical, porque considera que isso beneficiaria toda a cadeia produtiva.

Descrédito

Entre os depoimentos recebidos pela UBC, destacam-se:

“Basta você dizer que é compositora para ser desacreditada. Mulher cantando é até aceitável, mas compondo, acham que não temos competência”.

“Em algumas entrevistas, as perguntas técnicas acerca da composição de música ou de dificuldades da banda eram direcionadas apenas aos meus companheiros de banda. Minhas perguntas eram mais relacionadas ao que eles consideravam do ''mundo feminino”.

“Colegas músicos frequentemente não escutam minhas opiniões por acharem que não tenho muito a acrescentar, apesar de eu ser graduada em música pela Universidade Federal da Bahia e ter vasta experiência no mercado”.

“Recebi o cachê mais baixo que o combinado pelas gravações de voz de um disco completo. Eu era a única mulher da banda e atuava como cantora/intérprete. Até hoje não recebo pelos direitos conexos”.

“Sempre me perguntam se sou mesmo a compositora e a arranjadora das minhas músicas. Frequentemente ficam muito surpresos quando digo que produzo”.

“Já ouvi tantos absurdos, mas alguns dos que mais me marcaram foram falas do tipo 'além de bonita, ainda canta'; e 'é bom ela ficar na frente, enfeita o palco'. Também já fui descartada por um produtor quando descobriu que eu não estava solteira”.

“Nos festivais, em sua grande maioria, o corpo de jurados é formado em sua totalidade por homens”.

“Em um barzinho, enquanto um cantor se apresentava, eu pedi o microfone e cantei um pedaço da minha música que fala sobre empoderamento feminino. Todos aplaudiram muito, e ele, ao final, tentou me convencer a ceder minha música para ele gravar. Disse que faria muito mais sucesso na voz dele”.

(Fonte: Agência Brasil)

Chegou a hora de entrar em quadra para representar o Maranhão em uma das competições mais importantes do país. Nesta terça-feira (11), o Balsas Futsal estreia na Copa do Brasil de Futsal Adulto Masculino 2021 fora de casa. A equipe maranhense, que conta com os patrocínios da Equatorial Energia e do governo do Estado, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, e da Prefeitura de Balsas, inicia sua caminhada no torneio contra o JES Futsal (PI). A partida de ida será em Teresina, a partir das 19h, no Ginásio Carlos Saad. O jogo de volta será no Ginásio da Apcef, em São Luís, no próximo domingo (16).

Maior vencedor do futsal do Maranhão na atualidade, o Balsas Futsal irá, mais uma vez, representar o Estado em um evento nacional. Em busca do inédito título brasileiro, a equipe balsense é uma das grandes forças do torneio. No ano passado, Balsas fez a melhor campanha da história de um time do Maranhão na Copa do Brasil, terminando na terceira colocação.

Capitão do Balsas Futsal, o fixo Neto Caraúbas é um dos jogadores mais experientes da equipe maranhense. Com uma carreira repleta de conquistas, o atleta sabe que vencer o JES fora de casa será uma tarefa difícil, mas não impossível.

“Vai ser um grande jogo. Sabemos das dificuldades que vamos enfrentar em Teresina contra o JES Futsal, mas estamos preparados. Treinamos bem, nos últimos dias, na capital piauiense, para fazermos um grande jogo e sair com um resultado bastante positivo. Essa é a nossa ideia”, afirmou o atleta do Balsas.

O ala Rodriguinho não vê a hora de a bola começar a rolar nesta terça-feira. Para o atleta do Balsas Futsal, todo o elenco está animado em fazer uma bela partida para conseguir decidir a classificação no jogo de volta em São Luís, no domingo (16).

“A cada dia que passa, estamos mais empolgados para estrear na Copa do Brasil. Nosso objetivo é estrear bem, conseguir um bom resultado para decidir em casa a nossa classificação para a segunda fase”, disse. 

Motivação 100%

O desempenho na Copa do Brasil de 2020 é motivo de confiança para o Balsas Futsal fazer mais uma bela campanha neste ano. Comandada pelo técnico Hallyson Dias, a equipe maranhense passou por um processo de reformulação, mesclando experiência com juventude para montar um time forte e à altura da tradição do maior clube de futsal do Maranhão.

“Buscamos atletas de Balsas que estavam em outros Estados. São atletas que participaram conosco de campanhas vitoriosas anteriores. Também trouxemos atletas que foram campeões conosco em 2018. Vamos contar com a experiência do Neto Caraúbas e do Tatu, que continua no elenco e que foi muito importante nas conquistas do ano passado. Estamos montando uma equipe forte. Graças aos patrocínios da Equatorial Energia, do governo do Estado e da Prefeitura de Balsas, vamos conseguir ficar o ano todo trabalhando e aprimorando nossa equipe visando a Copa do Brasil e as demais competições”, afirmou Hallyson.

Copado Brasil

Em 2021, a Copa do Brasil de Futsal Masculino chega à sua 5ª edição. Além do Balsas Futsal, o torneio contará com outros 29 clubes de 16 Estados. Esta será a primeira vez que a competição atinge este número de clubes numa única participação.

A fórmula de disputa é bem simples: o evento será disputado em cinco fases, sendo a primeira fase com até 16 grupos, definidos pela logística dos clubes envolvidos, reduzindo custos financeiros. Em todas as fases, são jogos de ida e volta, classificando a equipe que obtiver duas vitórias ou uma vitória e um empate. A ordem dos jogos da 1ª fase foi definida por sorteio, porém, nas demais fases, fará o segundo jogo em casa a equipe com melhor índice técnico geral.

Balsas Futsal

Com apenas dez anos de existência, o Balsas Futsal tornou-se o clube mais vitorioso do futsal maranhense. A equipe balsense contabiliza oito títulos estaduais e diversos resultados expressivos em sua história: 3º lugar na Copa do Brasil de Futsal 2020, 5º lugar na Taça Brasil de Clubes de Futsal Divisão Especial, vice-campeão na Liga Nordeste de Futsal, vice-campeão Brasileiro Primeira Divisão, dentre outras conquistas e participações em relevantes competições estaduais e nacionais, também tendo destaque nas categorias de base.

Vale destacar que o Balsas Futsal conta com os patrocínios da Equatorial Energia e do governo do Estado, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, e da Prefeitura de Balsas, além dos apoios da Federação de Futsal do Maranhão (Fefusma) e da Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Apcef-MA).

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Humberto de Campos

A Seleção de Humberto de Campos sagrou-se campeã da primeira etapa do Campeonato Maranhense de Beach-Soccer de Seleções Municipais 2021, competição patrocinada pela Equatorial Energia e pelo governo do Estado por meio da Lei de Incentivo ao Esporte. Na manhã deste domingo (9), com transmissão ao vivo pelo canal Beach-Soccer MA, no YouTube (youtube.com/beachsoccerma),o selecionado humbertoense soltou o grito de campeão ao derrotar Santo Amaro nos pênaltis após empate por 4 a 4 no tempo normal. Com o triunfo, Humberto de Campos garantiu vaga na fase final da competição estadual, que ocorrerá no mês de junho.

A decisão deste domingo começou muito tensa. As duas seleções estavam pouco inspiradas no primeiro período, e poucas oportunidades de gol foram criadas. No período seguinte, tudo mudou. O duelo ficou bastante animado com chances claras tanto para Humberto de Campos quanto para Santo Amaro.

Jogando em casa, Humberto de Campos mostrou sua força nos minutos iniciais da segunda parcial e chegou a abrir 2 a 0. O resultado parecia controlado, mas Santo Amaro reagiu com dois belos gols anotados por Bidó e Babau para igualar o placar em 2 a 2 e deixar a decisão aberta nos últimos 12 minutos de jogo.

No terceiro tempo de partida, o jogo seguiu frenético. Humberto de Campos voltou a ficar em vantagem, mas, logo no ataque seguinte, Santo Amaro empatou: 3 a 3. No fim da partida, Ítalo marcou para Santo Amaro, mas, a 8 segundos do apito final, Humberto de Campos voltou a deixar tudo igual e levou a decisão para a prorrogação: 4 a 4.

Após a persistência do empate no tempo extra, o duelo foi para os pênaltis. No fim, melhor a Seleção de Humberto de Campos, que venceu por 6 a 5 para conquistar o título da primeira etapa do Campeonato Maranhense de Beach-Soccer.

Vale destacar que, por terem avançado à decisão, Santo Amaro e Humberto de Campos já estão garantidos na fase final do Campeonato Maranhense de Beach-Soccer, que ocorrerá somente no mês de junho. 

Próxima etapa

Agora, o Estadual de Beach-Soccer sai de Humberto de Campos e chega a São Luís. A partir desta quarta-feira (12), a capital maranhense sedia a segunda etapa do Campeonato Maranhense, torneio que contará com a participação de seis seleções: Bacabeira, Itapecuru-Mirim, Paço do Lumiar, Raposa, São José de Ribamar e a anfitriã São Luís.

Todos os jogos da segunda etapa do Campeonato Maranhense de Beach-Soccer de Seleções Municipais 2021, competição patrocinada pela Equatorial Energia e pelo governo do Estado por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, serão transmitidos ao vivo pelo canal Beach-Soccer MA, no YouTube (youtube.com/beachsoccerma).

Maranhense 2021

O Campeonato Maranhense de Beach-Soccer de Seleções Municipais 2021 conta com os patrocínios da Equatorial Energia e do governo do Estado, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte. Neste ano, a competição será realizada em seis etapas, sendo a última com as equipes classificadas nas fases anteriores.

Cada etapa será realizada em uma região diferente. Em 2021, as cidades de Humberto de Campos, São Luís, Santa Inês, Lima Campos e Pinheiro receberão os jogos do estadual. De acordo com a organização do torneio, a expectativa é que a fase final ocorra somente entre os dias 9 e 13 de junho.

ETAPA DE HUMBERTO DE CAMPOS

PRIMEIRA RODADA / QUARTA-FEIRA (5)

Santo Amaro 6 x 5 Presidente Juscelino

(LINK: https://www.youtube.com/watch?v=ci-XM94ax5g)

Morros 0 x 1 Primeira Cruz

(LINK: https://www.youtube.com/watch?v=e95zB-lSroM)

Humberto de Campos 2 x 8 Barreirinhas

(LINK: https://www.youtube.com/watch?v=AJuLnA3sjec)

SEGUNDA RODADA / QUINTA-FEIRA (6)

Barreirinhas 4 (1 pen.) x 4 (2 pen.) Morros

(LINK: https://www.youtube.com/watch?v=w-OwDj_ZeM8)

Santo Amaro 2 x 5 Primeira Cruz

(LINK: https://www.youtube.com/watch?v=SBZ3Q56WGGI)

Humberto de Campos 3 (2 pen.) x 3 (1 pen.) Presidente Juscelino

(LINK: https://www.youtube.com/watch?v=1Ke_8O7hgWQ)

TERCEIRA RODADA / SEXTA-FEIRA (7)

Barreirinhas 3 (1 pen.) x 3 (3 pen.) Santo Amaro

(LINK: https://www.youtube.com/watch?v=WljHFtV6qL8)

Presidente Juscelino 3 x 2 Morros

(LINK: https://www.youtube.com/watch?v=I-VKs1GHbRU)

Humberto de Campos 4 x 3 Primeira Cruz

(LINK: https://www.youtube.com/watch?v=_9dzc5uHleQ)

SEMIFINAIS / SÁBADO (8)

Santo Amaro 4 x 3 Barreirinhas

(LINK: https://www.youtube.com/watch?v=fUeR8bPvfKc)

Primeira Cruz 3 x 5 Humberto de Campos

(LINK: https://www.youtube.com/watch?v=D69PeKoJREw)

FINAL / DOMINGO (9)

Santo Amaro 4 (5 pen.)  x 4 (6 pen.) Humberto de Campos

(LINK: https://www.youtube.com/watch?v=2JsBX-0nsM0)

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Uma parte dos destroços do foguete chinês Longa Marcha CZ-5B caiu hoje (9), no Oceano Índico, a oeste das Ilhas Maldivas. As informações são da agência argentina Telam. A queda da peça, de 30 metros de altura e 20 toneladas, foi confirmada pela Agência Espacial chinesa. 

“De acordo com monitoramento e análise, às 10h24 (0224 GMT) de 9 de maio de 2021, o primeiro estágio do foguete 5B Longa Marcha voltou à atmosfera”, disse a agência espacial em comunicado.

De acordo com a agência, a maior parte do segmento se desintegrou ao entrar na atmosfera. Havia a expectativa de que o segmento do foguete pudesse cair em alguma parte habitada, causando prejuízos. As autoridades chinesas haviam afirmado que a queda do segmento do foguete representava pouco perigo.

A queda também foi confirmada pelo Comando Espacial dos Estados Unidos, que disse que o segmento entrou na atmosfera pela Península Arábica aproximadamente às 22h15.  

“#USSPACECOM confirma que o chinês #LongMarch5B reentrou na Península Arábica aproximadamente às 10:15 pm EDT em 8 de maio. Não se sabe se os destroços impactaram a terra ou a água”, disse o perfil do comando no Twitte.

O foguete Longa Marcha CZ-5B tem, no total, 57 metros. Ele foi lançado em 29 de abril, com a missão de levar ao espaço o primeiro módulo da nova estação espacial da China. O seu compartimento de carga, na “ponta” do foguete, tem bem menos, cerca de 27 metros e 25 toneladas. O restante do foguete, se desprende do compartimento de carga assim que sua função no lançamento é cumprida. Após o desacoplamento, esses estágios podem voltar à órbita da Terra.

(Fonte: Agência Brasil)

O Brasil se vestiu de LUTO: o BRASIL-POVO, o BRASIL-POLÍTICO, o BRASIL-LETRA, o BRASIL-DIREITO. Morreu San Tiago Dantas. Era uma das mais fortes expressões da intelectualidade brasileira. O mestre do DIREITO. Uma unidade de forças mentais extraordinárias que o colocava na liderança das altas e honrosas funções da vida pública do país. Da tribuna da Câmara, quando iluminava com a sua presença, era o artífice da palavra, o orador fluente, o analista por excelência, a declinar o VERBO com o fascínio das argumentações irrefutáveis. Então, nele, revelava-se a grandiosidade de uma cultura sólida, profundamente humanista, dando de si a melhor e a mais rica contribuição para, examinando os problemas nacionais, dar ao país a valorização exata da sua posição política no confronto com os demais países do mundo. Da cátedra sobressaía o mestre insigne do Direito, na exploração justa dos altos princípios jurídicos.

Uma vida em luta constante na ascensão perene dos que vieram para a vida ungidos de sabedoria pela harmonia das conquistas imperecíveis. Toda uma existência no exercício de várias funções públicas, conquista natural da sua formação moral, política e intelectual. Um símbolo de energias construtivas, em bem da Pátria. Em bem do povo, das nossas relações diplomáticas. Lá fora, no exterior, em serviço dos interesses do Brasil, era um Rui com outras dimensões numa época de constante evolução de mudanças totais na fulguração de um século em marcha acelerada para a conquista de novas concepções políticas, sociais e econômicas.

Um símbolo de patriotismo. Das suas convicções. Havia, no mestre insigne, várias facetas de sua personalidade do homem público, acadêmico, homem de partido, homem de luta. E o aperfeiçoamento da sua composição no setor da política nacional está, justamente, não se ter fixado no amadorismo das ideias esdrúxulas, no estreitíssimo dos pensamentos convencionais, no aprisionamento de um sistema político retrógrado que não mais comportava a sua evolução cultural a que dele já exigia os arremessos de atitudes mais amplas, mais definidas, integradas dentro das coordenadas políticas e sociais que se vêm libertando dos grilhões, rompendo as barragens para se colocar na convulsão do momento nacional, tão valorosamente evoluído, acomodando-se plenamente, e com êxito, dentro da caminhada histórica da evolução em todos os sentidos que hoje, domina e arrebata todos os povos para assegurar, com mais profundidade, o fortalecimento do regime democrático.

E foi aí, por esta atitude de independência, que contra ele se abateram a fúria de todas as incompreensões de seus adversários, dos que ainda não quiseram sentir, no todo, a trepidante realidade que aí está empolgando todos os povos em luta por uma melhor condição de vida: uma Democracia evoluída, libertando-se do “congelamento” duma política divorcista e inadequada.

San Tiago Dantas rompia com o PASSADO para, mais fortalecido, viver no PRESENTE. Mais idealista, mais humano, mais independente. Era a reação natural que se fazem sentir e que encontra hoje, nos Estados Unidos (com a iniciativa de Kennedy), marcas indeléveis de grandes modificações no trato das relações diplomáticas.

Mas, morreu San Tiago Dantas. Uma lacuna aberta e de difícil preenchimento. Todo o Brasil no drama do Calvário de brasileiro ilustre. Toda uma Pátria no velório da consternação, da irreparável perda. Todo um povo na homenagem do patrício que soube morrer como viver soube, sem angústias e sem desesperos. Mas, na resistência, na luta, dando o exemplo da coragem cívica, na imolação da MORTE. E, dela, não se atemorizou. Sentia-a perto de si, sabia de sua presença no corpo, debastando-lhe as energias, esgotando-lhe as reações para garantir mais alguns momentos de vida. Enfrentou-a com serenidade e bravura. Tinha a noção exata da FATALIDADE tremenda. Inexorável. E, enquanto pôde, por si, tentava afastar-se do irremediável – a MORTE!

E certamente, em plena lucidez, que nunca perdeu, reexaminou todos os estágios vividos na vida pública: o professor, o escritor, o político, o ministro, sua vida em constante vibração de intelectualidade, de deveres. Rememorou os últimos instantes. E, certamente, mais uma vez, viu-se magnificamente realizado. Da Pátria teria recebido, no silêncio de seu quarto de doente, no Hospital Samaritano, o agradecimento pelo muito que fez por honrá-la, dignificá-la. Ali, até a ele chegou, acreditamos, os raios do SOL, num poente maravilhoso de um quadro de aquarelas – era a despedida da TERRA. Da Terra que deixava a sua condição de berço para, instantes depois, ser o túmulo, a “última morada”.

E seus olhos se fecharam. Seu corpo se imobilizou. Dantas deixava de viver, de existir. O Brasil inteiro perdia um dos seus filhos mais ilustres.

Daqui, mestre San Tiago Dantas, a homenagem simples, mas sincera, da imprensa maranhense por meio de um dos seus colaboradores. E, no Azul, uma estrela a mais na iluminação da NOITE. É o prêmio da Eternidade. É a imortalidade, mestre San Tiago Dantas.

* Paulo Nascimento Moraes. “A Volta do Boêmio” (inédito) – “Jornal do Dia”, 11 de setembro de 1964 (sexta-feira).

Neste domingo, Dia das Mães,...

O leitor quer saber

1ª) Ambiguidade?

Leitor quer saber se há ambiguidade na frase “São Paulo empata na Libertadores. Vasco e Grêmio, na Copa do Brasil”.

Leitor tem razão. A frase tem duplo sentido:

1º) O São Paulo empatou o seu jogo pela Libertadores da América, e o Vasco empatou com o Grêmio no seu jogo pela Copa do Brasil (Vasco e Grêmio se enfrentaram pela Copa do Brasil); OU

2º) O São Paulo empatou o seu jogo pela Libertadores da América, e o Vasco e o Grêmio empataram seus jogos pela Copa do Brasil (Vasco empatou com o Fortaleza, e Grêmio empatou com o Vitória, por exemplo).

2ª) Pontuação?

Leitor quer saber se está correto o uso de dois-pontos na peça publicitária: “Luís: saia de férias”.

Concordo com o leitor.

Como se trata de um chamamento, “Luís” é vocativo, por isso devemos usar a vírgula: “Luís, saia de férias”.

O uso de dois-pontos seria recomendável se o “Luís” fosse o falante, ou seja, teríamos a transcrição da sua fala. Se o Luís estivesse respondendo a uma pergunta, por exemplo. Vamos imaginar que o chefe perguntasse ao Luís: “Que devo fazer?” E o Luís respondesse: “Saia de férias”.

Observe melhor:

Chefe: “Que devo fazer?”

Luís: “Saia de férias”.

3ª) Crase?

Leitor quer saber se o uso acento da crase está correto na frase “Comida à quilo boa a pampa”.

Concordo com o leitor. São dois erros.

1º) Em comida “a quilo”, não há crase. É impossível haver artigo definido feminino antes de “quilo” (quilograma), pois é uma palavra masculina. “A quilo” é equivalente a “por quilo” (sem artigo), logo sem crase.

2º) Em boa “à pampa”, faltou o acento indicativo da crase. “À pampa” é uma locução feminina. Todos os adjuntos adverbiais femininos (de lugar, de tempo, de modo, de intensidade…) recebem, obrigatoriamente, o acento indicativo da crase: “sentou-se à mesa”; “bateu à porta”; “saiu à noite”; “erra às vezes”; “vendeu à vista”; “saiu às pressas”; “comeu à beça”; “falou às pampas”.

Assim sendo, o correto é: “Comida a quilo boa à pampa”.

4ª) A nível de?

Nosso leitor tem razão. Há muita gente abusando do “a nível de” em suas entrevistas.

O uso da expressão “a nível de” é, talvez, o maior modismo linguístico criado no português do Brasil. É totalmente inútil.

Costumo dar o seguinte ensinamento: Toda vez que você sentir vontade de usar o “a nível de”, pare e deixe a vontade passar. Você pode ter a certeza de que a expressão é desnecessária.

O maior problema é o uso de “a nível de” em situações em que não há níveis: “O problema só pode ser resolvido a nível de reunião” (reunião não é nível). Bastaria dizer: “O problema só pode ser resolvido na reunião”.

É importante lembrar que, se houver níveis, podemos usar a expressão “em nível de”: “Esse tipo de problema só pode ser resolvido em nível federal”.

5ª) Para mim OU para eu?

Leitor quer saber se a frase “É impossível para mim chegar às 8h” está errada.

Sinto decepcionar o nosso leitor, mas o uso do “para mim” está correto. O problema é a falta das vírgulas. Em ordem direta, teríamos: “Chegar às 8h é impossível para mim”. Em ordem inversa, teríamos: “Para mim, é impossível chegar às 8h” ou “É impossível, para mim, chegar às 8h”.

É diferente de “O chefe disse para eu chegar às 8h”.

6ª) Lhe OU para ele?

Leitor quer saber qual das duas formas é a correta: “Transmita-lhe um abraço” ou “Transmita um abraço para ele”.

As duas formas estão corretas: “Transmita-lhe” ou “transmita para ele”. Poderia ser também “Transmita a ele”.

7ª) Entrega a domicílio OU em domicílio?

A expressão “entrega a domicílio” foi consagrada pelo uso.


Não está errada, mas a “entrega em domicílio” é mais coerente, pois toda entrega é feita EM algum lugar: “entrega em casa ou no escritório ou no quarto”.

Teste da semana

Assinale a opção que completa, corretamente, as lacunas das frases a seguir:

1ª) “Isso só será comprovado quando a empresa __________ em prática o novo sistema”.

2ª) “Isso só será comprovado se o técnico __________ o que aconteceu”.

3ª) “Isso só será comprovado se o técnico __________ à reunião”.

a) pôr – ver – vir

b) por – ver – vier

c) puser – ver – vier

d) puser – vir – vier

e) pôr – vir – vir

Resposta do teste: letra (d).

As conjunções QUANDO e SE pedem o uso dos verbos no futuro do subjuntivo. Os verbos PÔR, VER e VIR, no futuro do subjuntivo, ficam “quando PUSER”, “se ele VIR” e “se ele VIER”.

Miguel Torga foi um escritor português, um dos mais importantes poetas do século XX, em língua portuguesa. Destacou-se também como contista, ensaísta, romancista e dramaturgo, deixando mais de cinquenta obras publicadas.

Miguel Torga era o pseudônimo de Adolfo Correia da Rocha, nascido em São Martinho de Anta, Vila Real, capital de Trás-os-Montes, em Portugal, em 12 de agosto de 1907 e falecido em Coimbra, Portugal, em 17 de janeiro de 1995. Ainda criança, foi para a cidade do Porto trabalhar em funções compatíveis com sua pouca idade; em 1918, foi mandado para o seminário de Lamego, onde não se demorou muito, decidido, terminantemente, a não ser padre. E o porquê do pseudônimo? “Foi em 1934, aos vinte e sete anos, que Adolfo Correia Rocha criou o pseudônimo: ‘Miguel’ em homenagem a dois grandes vultos da cultura ibérica: Miguel de Cervantes e Miguel de Unamuno, e ‘Torga’ referente a uma planta brava da montanha, que deita raízes fortes sob a aridez da rocha, de flor branca, arroxeada ou cor de vinho, com um caule incrivelmente retilíneo”, contam seus biógrafos.

Em 1920, o poeta viajou para o Brasil para trabalhar numa fazenda de café, de um tio, em Leopoldina, no Estado de Minas Gerais, aonde foi matriculado no Ginásio daquela cidade [ginásio era o antigo curso de humanidades, que, no Brasil, equivalia ao Liceu, em Portugal]. Miguel Torga, pouco tempo depois, regressou a Portugal acompanhado desse seu Cireneu e tio que, a perceber a inteligência e a boa vontade do sobrinho, se prontificou a custear seus estudos em Coimbra, durante aquele período que lhe restava de Liceu. Em 1928, o poeta prestou exames para a Faculdade de Medicina e iniciou sua vida literária, publicando seus primeiros livros de poemas, “Ansiedade” (1928), “Rampa” (1930), “Tributo” (1931) e “Abismo” (1932) para, no ano seguinte, concluir seu curso de medicina.

De volta a São Martinho de Anta, em Vila Real, o jovem médico Adolfo Correia da Rocha inicia o exercício da profissão e, em 1934, publica “A Terceira Voz”, quando passa a usar o pseudônimo de Miguel Torga que o imortalizou. Deixou, em sua bibliografia, uma extensa obra, em poesia, prosa, romance e teatro. Era um cidadão de índole reservada, com horror a movimentos políticos e literários, a expressar, sempre, uma revolta diante de injustiças e abusos de poder, reflexos que se bem notam em suas produções literárias. Ouçamo-lo nestes dois belos poemas:

“Mãe”

 “Que desgraça na vida aconteceu, / que ficaste insensível e gelada? / Que todo o eu perfil se endureceu / numa linha severa e desenhada? / Como as estátuas, que são gente nossa / cansada de palavras e ternura, / assim tu me pareces no teu leito. / Presença cinzelada em pedra dura, / que não tem coração dentro do peito. /

Chamo aos gritos por ti – não me respondes. / Beijo-te as mãos e o rosto – sinto frio. / Ou és outra, ou me enganas, ou te escondes / Por detrás do terror deste vazio. / Mãe: / Abre os olhos ao menos, diz que sim! / Diz que me vês ainda, que me queres. / Que és a eterna mulher entre as mulheres. / Que nem a morte te afastou de mim! / Quase um poema de amor / Há muito tempo já que não escrevo / um poema de amor. / E é o que eu sei fazer com mais delicadeza! / A nossa natureza /

Lusitana / tem essa humana graça / feiticeira / de tornar de cristal / a mais sentimental / e baça / bebedeira. / Mas, ou seja, que vou envelhecendo / e ninguém me deseje apaixonado, / ou que a antiga paixão / me mantenha calado / o coração / num íntimo pudor, / – Há muito tempo já que não escrevo / um poema de amor”.

Por fim, ouçamo-lo em “Liberdade”, in “Diário XII”.

“Liberdade”

“– Liberdade, que estais no céu... / Rezava o padre-nosso que sabia, / A pedir-te, humildemente, /O pio de cada dia. / Mas a tua bondade omnipotente / Nem me ouvia. / – Liberdade, que estais na terra... / E a minha voz crescia / De emoção. / Mas um silêncio triste sepultava / A fé que ressumava / Da oração. / Até que um dia, corajosamente, / Olhei noutro sentido, e pude, deslumbrado, / Saborear, enfim, / O pão da minha fome. / – Liberdade, que estais em mim, / Santificado seja o vosso nome”.

A dá-se por merecer a homenagem que noticiamos abaixo, o poeta Miguel Torga tinha um carinho especial com o vinho e com toda a magia que a divina bebida envolve:

“Esperança”

 “Tantas formas revestes, e nenhuma / Me satisfaz! / Vens às vezes no amor, e quase te acredito. / Mas todo o amor é um grito / Desesperado / Que apenas ouve o eco… / Peco / Por absurdo humano: / Quero não sei que cálice profano / Cheio de um vinho herético e sagrado”.

Notas

Necessário se faz dizer que, à parte desses apontamentos, que esta homenagem, “sui generis” e de muito bom gosto, aposta abaixo, referente à ilustração deste texto, foi prestada ao poeta pela “Adega Cooperativa de Sabrosa”, homenagem esta que nos associamos, vez que, além de terna, por estampar um grande carinho pelo poeta, revela a todos a magnifica qualidade do bom vinho ali produzido. Eis o texto da homenagem, “ipsis literis”, conforme o que imprime o “Jornal de Vila Real”:

Ilustração:

“O poeta e escritor Miguel Torga afirmava que o Douro era um “Reino Maravilhoso”. Em reconhecimento ao seu trabalho e o amor que devotava ao Douro, a “Adega Cooperativa de Sabrosa” fez uma homenagem a este ilustre filho da terra. E nada melhor do que o fazer com vinho. A homenagem foi concretizada por uma edição especial e limitada de um conjunto de quatro garrafas do tinto “Reserva Douro 2012, Fernão de Magalhães”. Os rótulos são diferentes, contudo, ostentando pinturas dedicadas ao poeta e à sua obra. Esta edição especial foi limitada de 200 caixas de quatro garrafas [sic].

* Fernando Braga, in “Conversas Vadias” [Toda prosa], antologia de textos do autor.