Saltar para o conteúdo

BIBLIOTECA PÚBLICA DE IMPERATRIZ, 50 ANOS (2)*

**

Dia 22 de outubro é a data da criação, em 1970, da Biblioteca Pública Municipal de Imperatriz (Decreto nº 09/70).

A Biblioteca foi criada pelo, à época, prefeito Renato Moreira e “descriada”, ao longo desses 50 anos, pela falta de amor e decisão verdadeiros acerca da importância do livro, da leitura e do conhecimento para a transformação – para melhor – da vida de pessoas e comunidades.

Doei milhares de livros e revistas e outras publicações para a Biblioteca Pública de Imperatriz e para as bibliotecas da Uema (hoje Uemasul) e da UFMA, além de outras entidades.

Quando fui secretário municipal de Comunicação e Cultura, instruí a direção da Biblioteca para que, em vez de atender no balcão estudantes e demais pessoas, reorganizasse-se para deixar que os interessados “passeassem” por entre as fileiras de estantes...,

... tivessem, no ritmo de cada um, a atenção chamada por uma lombada, uma capa, um sumário...,

... fosse permitido escorrer os dedos por entre as páginas, folheando e “sentindo” cada exemplar...,

... que cada um parasse e se deparasse frente à obra que procurasse e outras que lhe instigassem...

Enfim, cada interessado deveria fluir como água por entre as margens feitas de estantes e livros.

Que cada um navegasse pelo leito daqueles oceanos de celulose e tinta que são os livros.

Foi feito. E até hoje permanece assim.

**

Nem de longe a Biblioteca Pública Municipal de Imperatriz está à altura da cidade e da pessoa que lhe dá o nome. Apesar dos seus cerca de 27 mil itens bibliográficos, ainda imperam a desatualização do acervo, a “humildade” das instalações (para dizer o mínimo), a desvontade do Poder Público para com ela.

A Biblioteca Pública Municipal de Imperatriz tem o nome do professor Osvaldo Ferreira de Carvalho (falecido), que era titular no curso de Letras da Universidade Estadual do Maranhão (Uema, hoje Uemasul). Era meu conterrâneo de Caxias e foi meu professor em algumas disciplinas. Dominava vários idiomas. Ele era o feliz proprietário de um automóvel de idade “avançada” e, aqui e acolá, eu tinha de pagar um "preço" pela carona que o professor insistia em dar: empurrar o carro até “pegar”...

Em algumas vezes, após as aulas, ou em dias previamente combinados, o professor Osvaldo e eu sentávamos em algum bar e tomávamos longas doses de cultura e saudades, lembrando a terra que nos viu nascer – Caxias – e refletindo sobre o mundo, as “coisas” e a Fé que nos permitiram (sobre)viver.

Saudades do meu amigo e conterrâneo Osvaldo Ferreira de Carvalho.

**

A Biblioteca localiza-se na Rua São Domingos, nº 10, Bairro Beira-rio. Fica aberta das 8h às 18h, ininterruptamente. Menos de vinte servidores estão à disposição, na gestão da Casa e no atendimento a alunos e demais interessados. O telefone: (99) 3523-0519.

No próximo 29 de outubro, comemora-se o Dia Nacional do Livro. A data lembra a fundação da Biblioteca Nacional (Rio de Janeiro/RJ), ocorrida dia 29 de outubro de 1810.

* EDMILSON SANCHES.

Fotos:
1 – O professor caxiense Osvaldo Ferreira de Carvalho com a esposa, Hermínia Maria Lisboa de Carvalho;
2 – Osvaldo Ferreira com a irmã Oseneide e os filhos Aimée e Wladimir;
3 – O professor Osvaldo quando mais jovem;
4 e 5 – A Biblioteca Pública Municipal de Imperatriz, que completou 50 ANOS nessa quinta-feira, 22 de outubro de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.