Tira-dúvidas de Português de A a Z – Alpheu Tersariol
COLOCAR/PÔR
Perceba a diferença entre colocar e pôr.

O verbo colocar significa “pôr em algum lugar”. E sempre deve ser usado para coisas materiais. Assim: A empregada colocou os pratos na mesa. / Colocou o dinheiro na carteira. / Colocou o diploma na parede do escritório.

O verbo pôr deve ser usado nas locuções e frases feitas, nas definições de coisas abstratas, nas coisas referentes ao espírito e no sentido figurado. Assim: O delegado pôs frente a frente os suspeitos. / Vamos pôr em cheque sua honestidade. / Já é hora de pôr ponto final nessas intrigas. / A empregada pôs a mesa. / Pôs as ideias no papel.

No dia a dia, prefira pôr a colocar.

Verbo pôr
Observações:
1ª) Observe que o verbo pôr tem acento. Não confunda com por (sem acento) que é uma preposição: Faça isso por mim. / Esteve chamando por quase duas horas.
2ª) Observe a diferença: Ele põe e eles põem. É a forma singular e a do plural, respectivamente: Deus dispõem, e os homens põem.
3ª) Nenhuma forma de pôr é escrita com z, mas com s. Assim: eu pus, ele compôs, quando ele puser etc.

Não erre mais! – Luiz Antonio Sacconi
Colocar
Não se aconselha o uso deste verbo como sinônimo de expor. Por isso, não fica bem “colocar” uma questão. Mas um dicionário já registra a sinonímia.

Dicionário de dúvidas, dificuldades e curiosidades da língua portuguesa – Luiz Antonio Sacconi
Colocar
Evite dar a este verbo a acepção de expor, apresentar, muito comum na língua falada daqueles pobres de vocabulário: Você “colocou” bem a questão. Ele “colocou” bem o problema. (E provocou outro...). Também não há propriedade no emprego de “colocação” por exposição, apresentação, apesar do abono de um dicionarista. Há certos dicionários que realmente...

Manual de redação e estilo – jornal O Globo
Colocar
Com o sentido de declarar ou argumentar, é um modismo de mau gosto, comum em manifestos estudantis. No sentido literal, é pôr em algum lugar. É mau estilo usar quase unicamente colocar, esquecendo pôr e botar.

Manual de redação e estilo – jornal O Estado de S.Paulo
COLOCAR
1 – Colocar significa pôr em algum lugar e deve ser usado para coisas materiais: Colocou o copo no armário. / Colocou os azulejos na parede.
2 – Pôr se emprega nas locuções e frases feitas, no sentido figurado e na definição de coisas abstratas e do espírito: pôr em prática, pôr frente a frente, pôr o dedo na ferida, pôr em xeque, pôr em pratos limpos, pôr um ponto final, pôr fogo, pôr o assunto em dia, pôr a mesa, pôr os pensamentos em ordem etc.
3 – Em qualquer situação, sempre que possível, prefira pôr a colocar.

Michaelis Português Fácil: Tira-dúvidas de redação – Douglas Tufano
COLOCAR, COLOCAÇÃO
O verbo colocar significa “pôr em certo lugar”, e só nesse sentido físico deve ser usado: Ele colocou o livro na estante. Por isso, evite usá-lo com o sentido de afirmar, opinar, comentar etc.: Ele afirmou que discorda de nossa opinião (e não “ele colocou que discorda”) / Durante o debate, ele fez várias perguntas (e não “colocou várias perguntas”) / Quero propor uma questão (e não “quero colocar uma questão”). O mesmo vale para o substantivo colocação. Podemos falar de colocação profissional, colocação pronominal etc. Mas não use essa palavra como sinônimo de comentário, questionamento, opinião, sugestão etc.: Durante a conversa, ele fez vários comentários (e não “fez várias colocações”). ● Além disso, evite usar “colocar” no lugar de “pôr” em expressões consagradas, como: pôr o dedo na ferida, pôr em prática, pôr em xeque, pôr a mesa, pôr o assunto em dia, pôr tudo em pratos limpos, pôr o carro na frente dos bois.

Dicionário de dificuldades da língua portuguesa – Domingos Paschoal Cegalla
Colocação
Evite-se usar colocação no sentido de opinião, afirmação, ideia, sugestão. É um dos muitos modismos repetidos a exaustão. A propósito, eis o que afirmou um conceituado jornalista e escritor: “E não é de hoje que se esbarra a cada momento com expressões como proposta, colocação, a nível de – por aí a fora. Os linguistas, sociólogos, comunicadores... estão chamados a estudar esse fenômeno alarmante que é a busca da originalidade visando uma pobre fábrica de clichês modernosos”. (Moacir Werneck de Castro, JB, 28/5/94) ● O mesmo se diga do uso de colocar na acepção de opinar, afirmar, expor ideias.

Corrija-se! de A a Z - Luiz Antonio Sacconi
Colocação e colocar – qual a novidade?
A novidade é que não convém usar colocação por argumento, exposição. Assim, p. ex.: Achei interessante a sua “colocação”.
Também não convém usar o verbo colocar por expor. Assim, p. ex.: Você “colocou” bem a questão. ● Ela “colocou” bem o problema.
Há dicionários que abonam tudo isso. Maravilha!

O português do dia a dia ¬– Prof. Sérgio Nogueira
Colocar
Verbo usado excessivamente. Evite. Use quando houver claramente ideia de “lugar”: “Colocar a bola na marca do pênalti”; “Vai colocar o livro na estante”. Nos demais casos, devemos usar verbos mais precisos: “Vestir (e não colocar) a camiseta”; “Pôr (e não colocar) em prática”; A galinha põe (e não coloca) ovos”; “Botar (e não colocar) água no feijão”; “Sou contrário à ideia que você expôs ou defendeu ou apresentou (e não colocou). E jamais usar o famoso “vou fazer uma colocação”. É melhor falar, afirmar, expor, argumentar, opinar... Exemplo inaceitável: “Mas o senador não respondeu à pergunta que eu coloquei (= fiz, formulei).

2

Um excelente educador não é um ser humano perfeito,
mas alguém que tem serenidade para se esvaziar
e sensibilidade para aprender
 Augusto Cury

É inevitável que, nas homenagens, a magia do tempo não envolva o escritor, transpondo-o para o passado. É quase impossível não ceder à nostalgia e retroceder no tempo, deixando as lembranças tomarem forma em nossa mente.

“O passado e as recordações têm uma forma infinita”, observou Anatole France (escritor francês, cuja obra é marcada pelo estilo apurado, pela ironia e pelo ceticismo), ressaltando que o presente é árido e turvo, o futuro ninguém desvenda, toda a riqueza, todo o esplendor, toda a graça do mundo, tudo está no passado.

Pedro Nava, notável memorialista, diz que “é impossível restaurar o passado em estado de pureza. Basta que ele tenha existido para que a memória o corrompa com lembranças superpostas” (Balão Cativo, p. 221).

Não é fácil falar das pessoas simples. Homem caprichado em tudo, diria Guimarães Rosa, pela boca de Riobaldo.

“O homem, em sua caminhada pela vida, deixa toda espécie de pegadas”, escreve Margaret Rubeck. “Algumas a gente vê, como seus filhos e sua casa. Outras são invisíveis, como a expressão que ele deixa na vida de outros, o auxílio que dá ao próximo, as coisas que disse. O homem não repara, mas onde quer que passe, deixa uma espécie ou outra de marca. Todas somadas, constituem o sentido do homem”.

Permitam-me, agora, que eu possa também dizer algumas breves palavras de agradecimento a um professor que tive em casa. Talvez eu receba críticas por abrir espaço à minha intimidade. Mas não posso, não devo e não quero deixar passar esta oportunidade. Se ocupo este espaço, na condição de blogueiro, devo esta alegria ao jornalista, poeta, prosador, orador, declamador e professor Paulo Augusto Nascimento Moraes, meu pai, meu espelho, meu eterno mestre. Suas mãos é que me fizeram estar aqui. Sem esquecer, é claro, minha mãe... Maria Emília Ribeiro Silva..

Vi nele o orador impecável. Impressionava a todos pela postura, pelo gestual, pelo timbre grave de sua voz e, acima de tudo, pela excepcional destreza no manejo das palavras. Era um verdadeiro espadachim do verbo, que sabia dar golpes certeiros, fundamentalmente na defesa da sociedade menos favorecida – o povo.

Como seu filho e admirador, fiz dele modelo e fim. Sou professor como ele sempre será. Se não ombreá-lo, difícil fazê-lo, consola-me o haver pretendido, que pretensão, nesse particular, pode-se ter, que não é atrevimento.

Citando Augusto Cury: “O tempo pode passar e nos distanciar, mas jamais se esqueçam de que ninguém morre quando se vive no coração de alguém. Levaremos por toda a nossa história um pedaço do seu ser dentro do nosso próprio ser”.

AQUARELAS DE LUZ
Aquarelas de luz numa tarde de agosto!...
E bem junto de nós a canção das cigarras...
E, no azul deste céu, o agitar das fanfarras
Destes ventos do sul a beijar o Sol-Posto!

Fim de tarde a cair sem o mal de um desgosto!...
E este mar a gemer como sons de guitarras...
E este amor a morrer, a quebrar as amarras
Dessa grande aflição que ilumina o teu rosto!...

Caminhemos então!... Tudo é sombra, querida!...
As cigarras cantando!... As cigarras cantando
Afugentam de nós as tristezas da vida!

Esta tarde morreu!... Tu mo afirmas, num beijo!
Eu te digo que não, entre prantos, chorando,
Tu me dizes que sim, sepultando um desejo.
(Aquarelas de Luz, Paulo Augusto Nascimento Moraes)

Eis a minha homenagem!

Na gaiola... o silêncio!
Na gaiola de bambu
pendurada no teto,
iluminando o silêncio,
o curió enche de vazio
com os seus acordes.
No espaço da prisão,
bater de asas,
dá um sentido de liberdade.
Depois, mergulha
na piscina improvisada
no seu espaço limitado.
Sua revolta está
nas batidas que dá
com o corpo frágil,
vestido de penas.
Momentos, instantes
e volta com o canto
da sua libertação.
Todos os dias, eu o vejo assim
na gaiola de bambu.
E dele a lição de resistência,
dele a mensagem da compreensão,
da renúncia.
Ele sabe que seu dono,
seu senhor,
encontra nele sempre
um pouco de alegria para afugentar
tristezas.
E ele...
iluminando o silêncio.
(Momentos do meu Eu, Paulo de Tarso Moraes - inédito)

 

Dicionário de dúvidas, dificuldades e curiosidades da língua portuguesa – Luiz Antonio Sacconi
ALEITAR ≠ AMAMENTAR
Convém não confundir. Aleitar é dar de mamar a (usando a mamadeira ou qualquer outro dispositivo que o valha): A babá aleitou o bebê antes de dormir. A veterinária aleita o filhote de golfinho. O funcionário do zoo já aleitou o filhote de chimpanzé. Conclui-se daí que a combinação “aleitamento materno” é impropriedade. Amamentar é dar de mamar a (usando os peitos): Toda mãe deve amamentar seu bebê. Criança amamentada pela mãe desenvolve mais anticorpos.

Não erre mais! – Luiz Antonio Sacconi
aleitamento materno
É bobagem. Aleitamento é ato ou efeito de aleitar, ou seja, dar de mamar a, usando a mamadeira; amamentação é que é ato ou efeito de dar de mamar a, usando as mamas. Assim, um veterinário pode aleitar um filhote de golfinho, de chimpanzé, etc., mas não será imprudente a ponto de amamentá-los, com certeza.
Os médicos deveriam sempre aconselhar a amamentação, e não “o aleitamento materno”.
Recentemente, uma de nossas revistas semanais de informação deu esta notícia: Recentes pesquisas comprovam que, quanto maior o tempo de “aleitamento materno”, mais a inteligência do indivíduo na vida adulta. A composição do leite materno é vital para o desenvolvimento neurológico da criança.
Teria o jornalista sido amamentado?...

Corrija-se! de A a Z – Luiz Antonio Sacconi
aleitamento materno – é o correto?
Não, não é o correto. O que é aleitamento? È o ato de dar de mamar a um recém-nascido (que pode ser até um filhote de elefante), usando a mamadeira. O que é amamentação? É o ato de dar de mamar a, usando as mamas. Portanto, uma veterinária pode aleitar um filhote de elefante ou de chimpanzé, mas não será imprudente a ponto de amamentá-lo. Assim, os médicos deveriam sempre aconselhar às mães a amamentação, e não o “aleitamento”.

Acrescentando...
DICIONÁRIO “AURÉLIO
ALEITAR1 [De a-2 + leite + -ar2.]
Verbo transitivo direto.
1. Criar a leite; amamentar: “A tua menina cá fica entregue à Maria Lemenha,... que pode aleitar três crianças” (Camilo Castelo Branco, Vulcões de Lama, p. 97). 2. Tornar claro como leite.

ALEITAMENTO1 [De aleitar1 + -mento.]
Substantivo masculino.
1. Ato, processo, ou efeito de aleitar1; aleitação, amamentação.

AMAMENTAR [De a-2 + mamar + -entar.]
Verbo transitivo direto.
1. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar. 2. Alimentar, nutrir: Passa a vida a acobertar e amamentar as estroinices do filho. 3. Dar vida ou alento a: Existem aparentes virtudes que amamentam muitos vícios.

Verbo intransitivo.
4. Dar de mamar; criar ao peito: “teus seios miraculosos, / Que amamentaram sem perder / O precário frescor da pubescência” (Manuel Bandeira, Estrela da Vida Inteira, p. 88).

AMAMENTAÇÃO [De amamentar + -ção.]
Substantivo feminino.
1. Ato ou efeito de amamentar; alactamento.

DICIONÁRIO “HOUAISS”
ALEITAR
verbo transitivo direto
1 dar leite a, criar a leite; amamentar

transitivo direto
2 Estatística: pouco usado.
tornar branco ou claro como o leite

ALEITAMENTO
substantivo masculino
ato ou efeito de 1aleitar; amamentação, aleitação

AMAMENTAR
verbo
transitivo direto e intransitivo
1 alimentar ao seio; dar de mamar a; aleitar
Exs.: a. uma criança recém-nascida
seios que amamentam

transitivo direto
2 Derivação: por extensão de sentido.
dar qualquer alimento a; alimentar, cevar

transitivo direto
3 Derivação: sentido figurado.
dar vida, estímulo ou incentivo a; estimular
Exs.: o excesso de conforto às vezes amamenta a indolência
maus exemplos podem a. o vício

AMAMENTAÇÃO
substantivo feminino
ato ou efeito de amamentar; alactamento, aleitação, aleitamento

DICIONÁRIO “CALDAS AULETE”
ALEITAR
aleitar1 (a.lei.tar)
v.
1. Nutrir (criança pequena) com leite; AMAMENTAR [td. : Aleitou dois bebês ao mesmo tempo] [int. : Tinha condições de aleitar] 2. Fig. P.us. Tornar claro, sereno, como se fosse leite [td. ] [F.: a2 - + leit(e) + -ar2. V. tb. lactar.]

aleitar2 (a.lei.tar)
1. Pôr no leito ou na cama 2. Trabalhar a superfície de (uma pedra), para pôr outra em cima [F.: a-2 + leito + -ar2.]

ALEITAMENTO
aleitamento1 (a.lei.ta.men.to)
sm.
1. Ação ou resultado de aleitar1; AMAMENTAÇÃO [F.: aleita(r)1 + -mento.]

aleitamento2 (a.lei.ta.men.to)
1. Ação ou resultado de aleitar2. [F.: aleitar2 + -mento.]

AMAMENTAR (a.ma.men.tar)
v.
1. Dar o leite do peito a; ALEITAR: Amamentava o bebê com grande alegria 2. P.ext. Alimentar, nutrir (tb. Fig.) [F.: a -2 + mama + -entar.]

AMAMENTAÇÃO (a.ma.men.ta.ção)
sf.
1. Ação ou resultado de amamentar; ALEITAMENTO [Pl.: -ções.] [F.: amamentar + -ção.]

Tira-dúvidas de português – de A a Z – Alpheu Tersariol
Penalizar
Está bem redigida a frase:
A prefeitura vai penalizar os que estão em débito com o fisco?

Está mal redigida. O verbo penalizar não significa “punir”, “castigar”, “prejudicar”. O seu significado é “causar pena”.
Assim:
Todos os telespectadores ficaram penalizados com a doença do garoto.
Ficou penalizado pela situação do país.
Nada penalizava mais a mãe do que ver o filho drogado.

A confusão entre “causar pena” (dó) e “punir” reside no duplo sentido que tem a palavra “pena” (= castigo ou compaixão). Evite usar o verbo “penalizar”, em caso de dúvida. Use um seu substantivo, como, punir, prejudicar, castigar.
Assim:
A prefeitura vai punir os que estão com débito com o fisco.

Outros exemplos:
O aluno não deve ser castigado pelo diretor (e não: penalizado).
A inflação prejudica a vida econômica de uma nação (e não: penaliza).
A portaria tem por objetivo castigar os culpados (e não: penalizar).
O funcionário foi punido pela negligência (e não: penalizado).

Dicionário de dificuldades da língua portuguesa – Domingos Paschoal Cegalla
Penalizar
V.t.d.
1. Causar pena, afligir: Penalizava-o o ar de tristeza das crianças pobres / “Lúcia penalizou-se”. (José Américo de Almeida, A bagaceira, p. 67) / “Penalizava-me assistir a esses pequenos dramas”. (Maria José de Queirós, Joaquina, p. 52)
2. Impor penalidade a, punir: O Ibama penalizou a madeireira.
3. Prejudicar: Governo altera decreta para não penalizar trabalhador de baixa renda.
● Nas acepções 2 e 3, é neologismo dispensável. Prefira-se punir, prejudicar.

Manual de Redação e Estilo – jornal O Estado de S.Paulo
“Penalizar”
Significa somente causar pena ou desgosto a, magoar, afligir. Por isso, substitua-o por castigar, punir ou prejudicar em frases como: Governo muda IR para não “penalizar” (prejudicar) contribuinte. / Banco não deve ser “penalizado” (punido, castigado) no caso X. / O aluno acabou “penalizado” (punido) pela ousadia. / Aumento "penaliza" (prejudica, pune, castiga) ainda mais o consumidor.

O Português do dia a dia – prof. Sérgio Nogueira
PENALIZADO
É melhor só usar no sentido de “ter pena, dó, compaixão”: “Sentia-se penalizado diante de tanta miséria”. Embora já esteja registrado no novo Aurélio e no dicionário Houaiss, é bom evitar o uso de penalizado no sentido de “punido”: “O zagueiro foi punido (e não penalizado) com cartão vermelho".

Manual de Redação e Estilo – jornal O Globo
Penalizar
Não significa punir, mas ter pena.

Manual de Redação – jornal Folha de S.Paulo
Penalizar
Segundo o dicionário “Aurélio”, o verbo significa causar pena, afligir. Na Folha, não deve ser usado como sinônimo de punir.

Corrija-se! de A a Z – Luiz Antonio Sacconi
Penalizar – qual o verdadeiro significado?
Significa, em rigor, atormentar, afligir, causar desgosto, dor ou aflição a: Uma vitória simples do Palmeiras já penaliza os corintianos; uma goleada, então, é de matar! ● O suicídio do presidente penalizou toda a população brasileira.
Na língua cotidiana tem aparecido por apenar, punir ou por prejudicar: Fui “penalizado” por algo que não cometi. ● A inflação “penaliza” mais os assalariados. Aliás, Fui apenado (ou punido) por algo que não cometi. ● A inflação prejudica mais os assalariados.