Saltar para o conteúdo

Uma dúvida:

RECORRO DA decisão ou RECORRO À decisão?

Bem...
RECORRER DE significa "fazer apelo judicial".
Uma pessoa pode RECORRER DE(DA) decisão, mas não RECORRER À decisão:
a) O escritor vai recorrer de decisão por plágio.
b) A defesa dos dois condenados vai recorrer da decisão.

RECORRER A indica "pedido de auxílio a alguém ou de providências legais a determinada instância jurídica":
-  Se não for atendido, o candidato poderá recorrer à Justiça.

Por isso, não faz muito sentido RECORRER À decisão.

Registrando...
Outro sentido possível de RECORRER A é o de "empregar, usar".
Exemplo:
– Há procedimentos para questionar o resultado de uma eleição sem recorrer à violência.

 DICIONÁRIO PRÁTICO DE REGÊNCIA VERBAL – Celso Pedro Luft
RECORRER
TI: recorrer a ou (menos us.) para...; recorrer a ele (não recorrer-lhe). Dirigir-se (a alguém ou a algo) pedindo socorro, proteção: Recorrer a Deus, aos santos. Recorrer a amigos nas horas difíceis. Recorrer à Justiça, a um remédio. “Nos seus apuros, recorre para os amigos” (Melhoramentos). // Recorrer a algo, a ele. Lançar mão de; empregar; valer-se de: Recorrer a certo expediente, a ameaças, à violência. Recorrer à poupança para pagar dívidas. // 2. TI: recorrer (de...) (para...). Int.: recorrer. (Jur.) Interpor recurso judicial ou administrativo; apelar: Recorrer de uma decisão, sentença, pronúncia. O réu recorreu da pronúncia (para o órgão federal). “Recorri da primeira instância para a segunda” (Jucá). O réu não vai recorrer (para instância superior). // 3. TD: recorrê-lo. Tornar a correr, a percorrer (a casa, a estrada, a terra). /// Investigar; esquadrinhar (arquivos, documentos). // Lembrar; evocar (fatos, feitos etc.). // (Tip.) Passar parte dos tipos de (uma composição) para a linha seguinte.

 

 

DICIONÁRIO “AURÉLIO”
bem-vindo
Adjetivo
1. Que chegou a salvo, que chegou bem. 2. Bem recebido, bem acolhido à chegada: “Bem-vindo sejas, poeta, / A estas praias brasileiras!” (Casimiro de Abreu, Obras, p. 290.) [Pl.: bem-vindos. Cf. Benvindo, antr.]

DICIONÁRIO “CALDAS AULETE”
BEM-VINDO (bem-vin.do)
a.
1 Recebido com prazer; acolhido com satisfação: Você é sempre bem-vindo em nossa casa. 2 Que chegou a salvo, bem, em segurança. [Pl.: bem-vindos.]

interj.
3 Us. para dar as boas-vindas a quem está chegando; expressa satisfação pela chegada ou retorno de alguém.

DICIONÁRIO “HOUAISS”
BEM-VINDO
n adjetivo
1 que chega ou chegou bem, a salvo 2 bem acolhido à chegada; bem recebido 3 bem-aceito num grupo, numa comunidade etc. Ex.: estranhos não são b. nesses lugarejos

n substantivo masculino
Uso: informal, jocoso. 4 aquele que paga ou que dá dinheiro 

Volp 5ª Edição 2009
bem-vindo
adj.; pl. bem-vindos

Atenção!!!
Bem-vindo

Escreve-se com hífen: Seja bem-vindo!
Admite variações de número e gênero: bem-vindos, bem-vinda, bem-vindas.
As formas Benvindo e Benvinda são nomes de pessoas.

A expectativa é de que...

Há a tendência de as pessoas usarem com a preposição DE construções como a vista acima. O fenômeno é tão enraizado que tem até nome: "dequeísmo" (colocar DE antes de QUE).

Na escrita chamada culta, é melhor não usar o DE. A orientação vale para vários casos análogos: a tendência é que, a esperança é que...

Há, no entanto, uma segunda forma para escrever a expressão. É com a utilização dos pronomes demonstrativos O ou A. Nesse caso, permanece o DE: a tendência é a de que, a esperança é a de que...

Reforçando:
a) A expectativa é que...
b) A expectativa é a de que...

 

DICIONÁRIO “AURÉLIO”
caixa-d’água
Substantivo feminino
1 Reservatório de água, quer para abastecimento de uma cidade ou bairro, quer de um edifício.

Substantivo masculino
2 Bras. V. ébrio (8). [Pl.: caixas-d’água.]

DICIONÁRIO “CALDAS AULETE”
CAIXA-D’ÁGUA (cai.xa-d'á.gua)
sf.
1 Reservatório em forma de caixa que serve para armazenar água (em casa, prédio, bairro etc.) [Pl.: caixas-d´água]

s2g.
2 Bras.  Pop. Joc.  Indivíduo que bebe muito (bebida alcoólica); ÉBRIO; BÊBADO [Pl.: caixas-d´água]

DICIONÁRIO “HOUAISS”
CAIXA-D’ÁGUA
n substantivo feminino
1 compartimento ou reservatório, ger. situado em local elevado, onde é armazenada a água que abastece uma casa, edifício, bairro, cidade etc.

n substantivo de dois gêneros
Regionalismo: Brasil. Uso: jocoso.
2 bêbado, ébrio ('pessoa que bebe muito')

Volp 5ª Edição 2009
caixa-d’água
s.f.; pl. caixas-d’água

Locução adverbial
Sem acento na preposição A. Não se acentua o A antes de palavra masculina, pois não há crase. Assim também: A PÉ, A CAVALO, A BORDO DE, A LÁPIS, A MUITO CUSTO, A JATO...

DICIONÁRIO “AURÉLIO”
A prazo
Econ. Com pagamento futuro, que se pode dar de uma só vez ou em prestações; a crédito: Comprei minha televisão a prazo.

DICIONÁRIO “CALDAS AULETE”
A prazo
Econ. Com pagamento no futuro, ger. parcelado.

 

 

 

 

Todos os quatro trabalhavam para uma empresa.

O uso do artigo é obrigatório após o pronome indefinido TODOS que antecede um substantivo. Dizemos, portanto, TODOS OS dias, TODAS AS pessoas, TODOS OS documentos, TODAS AS reuniões...

Omite-se o artigo, entretanto, na construção sintática em que o referido pronome determina um numeral. Assim: TODOS três, TODOS cinco, TODOS quatro...

É importante observar, contudo, que o artigo volta a ser necessário quando o numeral antecedido do pronome TODOS adjetiva um substantivo. Assim: TODOS OS três irmãos, TODAS AS cinco regras, TODOS OS três livros...

Apresentamos, abaixo, duas correções possíveis:
Todos quatro trabalhavam para uma empresa.

Todos os quatro agentes trabalhavam para uma empresa.

 

Já encontrei em várias redações APARTIR DE (APARTIR como sendo uma única palavra). Então, é bom insistir: o A é preposição, PARTIR é verbo, e se escrevem separadamente.

Outro erro, aliás, bem mais frequente, é colocar acento grave (`) no A e escrever À PARTIR DE. Nesse caso, é bem mais fácil evitar o erro. É só guardar o princípio geral de que não pode haver À (= A com acento grave) antes de verbo no infinitivo. Como PARTIR é infinitivo, a crase está errada. Por quê? Porque, nesse caso, o A é mera preposição.

Então, do mesmo modo que não existe acento grave em A PARTIR DE, não pode haver crase em expressões como COMEÇOU A CHORAR, DISPOSTO A COLABORAR, DECIDIDO A NÃO ACEITAR...

REFORÇANDO:
A PARTIR DE é uma expressão com três palavras separadas e o A não leva acento grave, não ocorre a crase.

 

 

 

 

 

Está chovendo desde às 20 horas.

Na frase acima, foi indevidamente empregado o acento grave (indicador do fenômeno da crase).

Ocorre crase quando a preposição A se encontra com os artigos femininos A ou AS, com os pronomes demonstrativos femininos A ou AS, com a vogal inicial dos pronomes demonstrativos AQUILO, AQUELE, AQUELES, AQUELA, AQUELAS ou com a vogal A dos pronomes relativos A QUAL e AS QUAIS.

No exemplo selecionado para o comentário de hoje, a preposição DESDE antecede o artigo definido feminino AS. Não ocorre, portanto, a crase.

Observe que não pode ocorrer a crase quando uma preposição diferente de A antecede o artigo feminino.

Assim: “A entrevista estava marcada para as 17h”, “Faltam 15 minutos para as 14h”, “A bilheteria estará aberta entre as 14 e as 18h”. “Terá de repetir isso perante as autoridades”.

REFORÇANDO:
DESDE
Sempre sem crase: Desde as duas horas (e não “desde às”). / Desde o dia anterior (e não “desde ao”).

A expressão JUNTO A quer dizer AO LADO DE. Assim: “Foi fotografada junto aos filhos”, ou seja, “ao lado dos filhos”.

Evite empregar a locução em frases do tipo: “Tomou um empréstimo junto ao banco”. A ideia certamente não é dizer que alguém tomou um empréstimo ao lado do banco. Bastaria, então, dizer que a pessoa “tomou um empréstimo ao banco”.

Ele não reconheceu a existência de uma milionária caixa dois.

A palavra CAIXA tem diversas acepções. Quando nomeia o livro comercial onde se registram entradas e saídas de dinheiro, é um substantivo masculino. Dizemos, portanto, o CAIXA DOIS.

Ele não reconheceu a existência de um milionário caixa dois.

DICIONÁRIO “AURÉLIO”
Caixa dois
Com. Ind. Controle de recursos desviados da escrituração legal, com o objetivo de sonegá-los à tributação fiscal. [Cf. economia invisível e contabilidade paralela.]

DICIONÁRIO “CALDAS AULETE”
Caixa dois
1 Cont. Fluxo financeiro não contabilizado, como forma de omitir a origem dos recursos ou visando à sonegação fiscal.

"Caixa 2 é o caixa onde fica o dinheiro desviado, não contabilizado, e muito menos declarado aos órgãos de fiscalização responsáveis. O superfaturamento nas compras, o subfaturamento de vendas, a não contabilização das mercadorias vendidas e de parte dos produtos fabricados.

Deixar de declarar um valor, ou declarar um valor menor é crime de sonegação fiscal, previsto na Lei 8.137/1990". (http://www.infoescola.com/economia/caixa-2/)